Voltado apenas para o Campeonato Brasileiro, o Coritiba traça metas a serem atingidas no curto, médio e longo prazo. Primeiro, o time quer a vitória sobre o Botafogo, amanhã, para recuperar os pontos perdidos sobre o Atlético-GO; depois, fatiar a competição e buscar pontos em blocos de três ou quatro partidas para chegar ao final das 38 rodadas com 60% de aproveitamento.

Se atingir o objetivo – em torno de 68 pontos -, o Alviverde calcula que garante não só vaga na libertadores como avalia que disputará o título. O Coritiba fez as contas baseado nos percentuais dos clubes que se destacaram em 2010 e também no desempenho que o time vem atingindo nesta temporada.

“Nós temos que seguir o trabalho com essa dedicação, com esse comprometimento e com essa entrega que aconteceu até então. É preciso avaliar o campeonato de pontos corridos, que demanda regularidade, para criar metas curtas para alcançar o objetivo maior”, revela o técnico Marcelo Oliveira.

Segundo ele, nos planos estão a manutenção do aproveitamento em casa na temporada. “Essas metas passam por um grande aproveitamento dentro de casa, como tem sido feito, e buscar pontos fora”, destaca.

Até aqui, foram 19 jogos no Alto da Glória, com 18 vitórias e apenas uma derrota. No entanto, o treinador sabe que o nível de exigência agora será bem maior.

“Não é um campeonato fácil, muito pelo contrário, é o campeonato mais difícil do mundo. Nós já temos pela frente nada mais, nada menos, do que Botafogo, Internacional e Cruzeiro. Temos que ficar atentos, mas construindo nosso caminho com solidez, entrega, determinação e com bom futebol também”, analisa.

Nas contas dele, são números possíveis de serem alcançados. “A grosso modo, se você estiver pontuando a cada quatro partidas 60%, que seriam sete pontos, será interessante”, informa Marcelo.

Porém, para dar certo, o time precisa ir bem diante do Fogão. “Não tínhamos essa meta até então e nosso foco, pela mobilização que criamos em tornos da Copa do Brasil, passa ser o Botafogo. Certamente, na sequência, vamos criar metas importantes de pontuação forte em casa e trazer pontos de fora, se as circunstâncias forem favoráveis”, projeta.

O que ele lamenta são os pontos perdidos para Atlético-GO e Corinthians, quando a equipe pensava na Copa do Brasil.

“Perdemos alguns pontos preciosos e acho que quem está fazendo entre 50 e 60% está sempre com a possibilidade de chegar entre os primeiros”, finaliza o treinador.