Uma belíssima bicicleta, chalaca ou chilena do argentino Ariel definiu o placar ontem no Serra Dourada. Aos 40 minutos do segundo tempo, Rodrigo Heffner cruzou na área, Harley não conseguiu rebater muito longe, Renatinho tentou o domínio e a bola sobrou para o gringo matar no peito e girar perpendicularmente ao gramado e mandar para a rede. Era o empate por 2 a 2 contra o Goiás que, se não era o melhor que o Coritiba pôde fazer, foi o suficiente para a equipe não retornar à zona do rebaixamento. O perigo continua, mas o futebol apresentado confirma o bom momento.

Nos últimos seis jogos, o Coxa conseguiu aquilo que não vinha conseguindo anteriormente com o técnico René Simões. Desde a estreia de Ney Franco, a equipe do Alto da Glória conquistou quatro vitórias, uma derrota e o empate de ontem. Um desempenho mais consistente e que poderia ser até melhor. Contra os esmeraldinos, por exemplo, Marcelinho Paraíba, Pedro Ken e Pereira fizeram bastante falta. Com isso, o treinador precisou mudar a formação tática e a aposta em alguns jogadores não deu muito certo. No entanto, as mudanças ao longo da partida injetaram um gás que proporcionou o gol salvador de Ariel.

O matador poderia ter feito até mais. Quando a partida ainda estava no 0 a 0, ele recebeu um passe precioso de Leandro Donizete e tocou na saída de Harley, que salvou a pátria goiana. Não demorou muito e o gringo mostrou categoria ao aparar um cruzamento de Heffner, girar na marcação e tocar para o gol. Parecia que o Coritiba iria dominar facilmente, mas o ímpeto caiu e o Goiás conseguiu a virada em falhas. No primeiro gol, Jeci fez falta boba na entrada da área e permitiu uma bela cobrança de Felipe. No ângulo. Depois, foi a vez de Demerson furar na área e deixar Leo Lima à vontade para o segundo gol.

Na etapa final, o Coritiba também demonstrou uma reação, mas Ney precisou alterar a formação. Ao retomar o 4-4-2, a defesa segurou atrás e o ataque voltou a ameaçar Harley. O arqueiro salvou nova bola, desta vez de Heffner, com os dois pés, a la futsal. No entanto, por não ser muito alto, ao sair no jogo aéreo, ele não conseguiu socar como queria e a bola quicou na área e gerou o empate. Nos últimos minutos, Fernando, que entrou aos 39, foi expulso aos 47, mas não deu tempo do Coxa aproveitar a vantagem numérica e o empate acabou sendo comemorado mesmo assim pelas circunstâncias.