Muito cobrado, e até vaiado durante a partida contra o Roma pelos lances desperdiçados, mas se redimindo com um gol de cabeça, o meio-campo Lincoln já sentiu na pele como é a paixão dos torcedores do Coritiba pela equipe. É possível ir do inferno ao céu, em menos de 90 minutos, o que o jogador garante ser normal. “A cobrança vai existir, porque o Coritiba é um clube grande, um clube que se acostumou com as vitórias no ano passado”, analisa o jogador.

Por isso, ele pede respeito ao trabalho que é feito e que as críticas não vejam apenas lances isolados numa partida. “O que eu prezo sempre é pelo respeito. Vocês nunca vão me ver tratando qualquer pessoa com falta de respeito. Foi assim que aconteceu na minha carreira. O que eu quero deixar claro é isso. É que às vezes existem pessoas que analisam por um momento, por um fato, que, de repente, não é a verdade toda”, pondera o jogador.

Na visão dele, não dá para comparar o time deste ano com o de 2011. “São situações que não existem comparações, porque o futebol é muito dinâmico. Um dia está de um jeito e outro dia está de outro. Os jogadores que aqui passaram tiveram sua história e outros jogadores que chegaram têm a possibilidade de fazer as suas histórias”, avisa Lincoln.

Na partida de amanhã, ele terá presença garantida. A tendência é que o volante Willian também reapareça na equipe, já que a lesão na coxa direita não teve a gravidade que se supunha. Outro que volta é o lateral-direito Jackson, após cumprir suspensão.