A fórmula para montagem do time do Coritiba para o início de 2018 já está estabelecida: uma espinha dorsal com jogadores experientes, reforçada pelos destaques do time sub-20, que foi vice-campeão brasileiro na atual temporada. Jogadores como o goleiro Wilson, o zagueiro Werley, o lateral-esquerdo William Matheus e o atacante Kléber serão o ponto de partida para a formação da nova versão do Coxa.

Porém, nessa nova combinação, já fica claro um problema imediato para a comissão técnica, que é encontrar um lateral-direito. A posição já foi uma dor de cabeça em 2017 e passará por uma grande reformulação para a próxima temporada.

Léo foi o titular na maior parte do Campeonato Brasileiro, mas não rendeu o esperado, sendo irregular ao longo da competição. O jogador de 25 anos chegou ao Couto Pereira depois de perder espaço no rival Atlético e nunca conseguiu repetir as atuações dos tempos de Furacão. Foram 23 jogos e o que mais chamou atenção no desempenho do lateral foi o número alto de cartões amarelos, dez no total. Sem vinculo com o clube, Léo já foi embora.

A outra ‘baixa’ na posição representou uma ótima oportunidade de negócio. Dodô foi vendido para o Shakthar Donetsk, da Ucrânia e o Coxa recebeu 2 milhões de euros (aproximadamente R$ 7,75 milhões) pelo negócio. Mesmo com o bom valor, o jogador de 19 anos nunca convenceu a torcida e nos últimos jogos da Série A foi utilizado no meio-campo pelo técnico Marcelo Oliveira.

Léo não foi tão regular no Coxa e não deve seguir no clube. Foto: Albari Rosa
Léo não foi tão regular no Coxa e não deve seguir no clube. Foto: Albari Rosa

Opções

Diante desse cenário, o mais provável é que o Alviverde comece o Campeonato Paranaense com Rodrigo Ramos como titular da lateral. O jogador de 22 anos foi titular nas partidas decisivas do título estadual , mas depois perdeu espaço por causa das lesões e quase não foi mais utilizado. O atleta larga na frente, mas pode ganhar uma concorrência da base.

Marcos Moser foi um dos destaques do time comandado por Sandro Forner no sub-20 e foi relacionado para a última partida da temporada, na derrota por 2×1 para a Chapecoense. A seu favor, o fato de já ser conhecido pelo técnico.

De qualquer maneira, a posição deve ser uma das prioridades na busca por reforços no mercado junto com a função de meia, outro problema do elenco disponível. Até o momento Coritiba não anunciou nenhuma contratação. A própria diretoria já reconheceu o atraso natural no planejamento por conta do processo eleitoral.

“A tendência é que, até o final dessa semana, o torcedor tenha algumas novidades até em termos de nomes de atletas. Tem muitos profissionais viajando, atletas em férias, temos tido bastante dificuldade com isso. Temos várias urgências sobre renovações de jogadores, e eles estão todos viajando”, disse o presidente Samir Namur em entrevista à rádio oficial do clube.

Sandro Forner que ganhou a companhia de Tcheco na nova comissão técnica do Coritiba já admitiu que formação da nova equipe vai levar um tempo. “Nós vamos formar um novo time, a mentalidade do time e de como vamos jogar. É um processo que leva um certo tempo, mas não tenho dúvida que podemos fazer um bom trabalho para colocar o Coritiba na primeira divisão”, avaliou o técnico, também em entrevista ao site oficial do clube. Uma declaração bem consciente do cenário que vai encontrar para formar a nova versão do Coxa para 2018, a começar pela lateral-direita.