Melhor jogador do Coritiba em 2016, Kléber estava resignado ao deixar o gramado do Alto da Glória após a derrota alviverde para o Vitória por 1×0, na última partida coxa em casa nesta temporada, antes da tragédia com o avião da Chapecoense – o Brasileirão terminará no Moisés Lucarelli, contra a Ponte Preta, no dia 11. O Gladiador mais uma vez se esforçou, buscou o jogo, tentou como pôde, sofreu faltas, mas viu o time errar e perder a partida, e ver uma classificação direta para a Copa Sul-Americana ficar bem difícil. E ele não economizou palavras para resumir o que aconteceu em campo – e que no final das contas foi o que se repetiu em quase toda a temporada.

“O torcedor que está aqui tem o direito de cobrar. A gente não jogou bem, tivemos dificuldades e agora a nossa situação para garantir a vaga na Copa Sul-Americana ficou mais complicada”, disse Kléber, questionado sobre os gritos de “vergonha” saídos das arquibancadas do Couto Pereira. “Nós tivemos essa instabilidade durante todo o ano. Cometemos erros e passamos pelos mesmos problemas de anos anteriores”, afirmou o camisa 83, capitão alviverde e de contrato renovado por mais duas temporadas.

Por isso Kléber quer a autocrítica coxa-branca. “Temos que ver o que erramos, avaliar o que aconteceu para que no ano que vem tenhamos mais tranquilidade, não tenhamos que passar de novo pelo que passamos neste Campeonato Brasileiro”, comentou o Gladiador, que não quer deixar de pensar no único objetivo que resta ao Cori na rodada final da competição. “Ficou mais difícil, mas não vamos desistir da classificação para a Copa Sul-Americana”, finalizou.

Foi mal

O outro jogador experiente do Coritiba, o lateral e meia Juan, também admitiu que o time ficou bem abaixo do esperado contra o Vitória. “O resultado foi péssimo. Não era a impressão que queríamos deixar para o torcedor”, comentou. Ele ainda não tem definição se continua ou não no Alto da Glória na próxima temporada.