Depois da vitória por 1×0 sobre o Foz, o técnico Ivo Wortmann vai usar quase o mesmo time que atuou com o Foz, apenas com o retorno de Rodrigo Mancha e a entrada de Hugo no ataque. Mas a principal mudança, para o treinador, deve ser a postura da equipe. Ele acredita que todos devem dividir a responsabilidade de marcar gols, e quer ver um time ofensivo. “A escalação é praticamente a mesma do time que iniciou, volta o Mancha que ficou ausente por um pequeno problema e a manutenção do resto do time”, destacou Ivo.

A permanência de Hugo é um incentivo para quem ganhar oportunidades. “O jogador tem que estar sempre pronto para quando a oportunidade aparecer. Testamos o Roger, o Ariel, que se machucou. Testamos o Marcos Aurélio, que, quando saía da área, não tinha a penetração dos homens de trás e não tínhamos ninguém na área”, avaliou.

“Quando o Roger e o Hugo entraram tivemos uma presença física na área e automaticamente acabamos ganhando o jogo, em uma jogada bem elaborada, que mostrou a condição do Hugo como goleador. É um jogador que se preparou, apareceu a chance e ele aproveitou. Não tenho como tirá-lo, pelo contrário, preciso dar mais uma chance pelo que ele mostrou no jogo anterior”, complementou.

Mas, para ele, a equipe ainda precisa corrigir alguns aspectos. “Falta ter presença de área, mais agressividade dos alas e mais jogadores dentro da área, no mínimo dois atacantes e um meia. Isso falta para manter um equilíbrio, para que a gente mantenha a condição de defesa menos vazada e melhore o ataque”.

O treinador diz que vencer é bom, mas todos devem se comprometer com esse objetivo. “Acho que o importante são os três pontos, o que interessa é a vitória, é a maior satisfação do torcedor. Mas os jogadores também precisam entender que não é o camisa 9 que tem essa obrigação exclusiva. Os outros atletas também podem decidir, os meias, os alas, ou os defensores em uma bola parada, em uma jogada. Temos que dividir essa responsabilidade”, finalizou.