A volta do que não foi. Ou a ida do que não veio. Use a brincadeira como quiser, mas no final das contas Ceará foi mesmo para o Internacional. O ex-capitão do Coritiba deixou o clube há dez dias dizendo ter uma proposta irrecusável do clube gaúcho, mas foi reprovado nos exames médicos e a negociação foi suspensa. Até a volta de Fernando Carvalho ao Colorado.

O presidente campeão mundial reassumiu o cargo de vice de futebol (que já ocupou diversas vezes) e manteve a palavra do clube com o jogador – que trabalhou com ele em 2006. “Resolvemos o assunto Ceará. Ficará até o final do ano que vem. É um contrato que tem de ser honrado pelo clube. Fizemos um remanejo por ele não estar jogando”, afirmou Carvalho na noite desta quarta (10).

Assim, resolve-se uma parte da negociação confusa entre os dois clubes. Ceará enfrentou o Flamengo um dia antes de ser anunciado pelo Inter, mas o exame médico em Porto Alegre havia apontado uma lesão de grau 3 na coxa, o que impediria a estreia imediata do lateral – os gaúchos precisavam de um jogador inteiro para ocupar a vaga de William, que está na seleção olímpica.

Com o trato refeito, resta ao Internacional fechar o pacote. Quer dizer, pagar ao Coritiba um milhão de reais pela transação. Semana passada, o Coritiba divulgou o documento que confirma que o acordo pela liberação de Ceará exigia o pagamento. O Coxa promete entrar na Justiça se a grana não pintar.