O Coritiba retornou do Rio Janeiro com novo ânimo, após o empate por 2 x 2 com o Vasco, na última quinta-feira. O resultado, que encerrou um série de quatro derrotas seguidas (três pelo Brasileiro e uma pela Copa Sul-Americana) renovou as esperanças de que o time possa dar uma arrancada no campeonato, se afastando de vez da ameaça de rebaixamento. “O empate fora pode nos dar novo alento, para jogar melhor, ter um apoio maior da torcida neste jogo contra o Cruzeiro (domingo) e aí, sim, retomar nossa caminhada”, disse o técnico Marcelo Oliveira, ontem, após na chegada da delegação.

O treinador observou, porém que, para ascender na tabela, o time terá que oscilar menos nas partidas e sustentar os resultados. No jogo com o Vasco, o Coxa novamente saiu na frente e levou a virada, com um gol nos últimos minutos. Menos mal que, desta vez, evitou a derrota. “Esta é a grande cobrança nossa. Nós jogamos um tempo do jogo muito bem – foi assim contra o Atlético Mineiro, contra o Corinthians da mesma forma – e aí a gente passa por um momento de desatenção. Tomamos gols evitáveis, a bola parada sempre foi um forte nosso. Vamos trabalhar mais e procurar concentrar os jogadores dentro de campo”, comentou.

A equipe que enfrenta o Cruzeiro está indefinida, segundo o comandante coxa-branca. Mais uma vez, ele não poderá repetir a escalação, pois tem dois novos desfalques: o zagueiro Pereira e o volante William, punidos com o terceiro cartão amarelo em São Januário. “Pensamento e ideias sobre o time a gente tem, mas o tempo é curto, os jogadores estão muito desgastados. Vamos montar um time para buscar uma vitória”, comentou. O substituto de Pereira deve ser Bonfim, já que Emerson ainda se recupera de uma lesão no pé direito e não deve ser liberado. A vaga de William é disputada por dois candidatos: Chico e Gil.

O provável onze deve ser formado por Vanderlei; Ayrton, Bonfim, Escudero e Lucas Mendes; Júnior Urso, Chico (Gil), Robinho, Éverton Ribeiro e Rafinha; Anderson Aquino (Roberto).