O Coritiba provou na vitória por 2×0 sobre o Palmeiras que a defesa sólida é uma das marcas registradas da equipe sob o comando do técnico Pachequinho. Além de ter conquistado a sua terceira vitória consecutiva pela primeira vez no Campeonato Brasileiro deste ano, o defesa alviverde passou em branco pela segunda vez seguida e provou a volta do bom momento nesta reta decisiva da competição. O comandante do Verdão ressaltou o bom trabalho defensivo neste processo de recuperação do time coxa-branca no Brasileirão.

“Temos que enaltecer o trabalho do nosso time sem a posse de bola. A gente não se afoba e, em determinados momentos em que o adversário pode crescer, a equipe está ciente do posicionamento, da conversa entre eles em campo para acertar, corrigir e não deixar o adversário ocupar o espaço”, disse o treinador.

Um dos pontos altos do bom rendimento da defesa coxa-branca é, além das participações seguras do goleiro Wilson, as grandes atuações dos jovens zagueiros Juninho e Walisson Maia. Sob o comando do técnico Pachequinho, em quatro partidas, foram apenas três gols sofridos, diminuindo a média para 0,75. Sob o comando do técnico Ney Franco, a média foi de 1,11 e, no início, nas seis primeiras rodadas que o time alviverde foi comandado pelo técnico Marquinhos Santos, a média foi de 1,5.

O zagueiro Walisson Maia, que foi um dos destaques da vitória alviverde sobre o Palmeiras, enalteceu a importância do técnico Pachequinho para este processo de recuperação que o Coxa vive na luta para escapar do rebaixamento. “A gente comprou a ideia do Pachequinho. É um cara que a gente conhecia há muito tempo, tem uma história bonita dentro do clube e a gente correu por ele também. Não que a gente não estava correndo pelo Ney (Franco), mas não estava dando certo. A gente abraçou o Pachequinho e o Márcio Goiano, estávamos em uma situação difícil e precisávamos mudar o foco”, apontou o defensor alviverde.

Ataque

O ataque coxa-branca também melhorou sob o comando do técnico Pachequinho. Depois de passar em branco em 15 jogos antes do treinador assumir o comando do Verdão, o Coxa, nas quatro últimas partidas, marcou gols em todos os jogos e atingiu a média de quase dois gols por partida. Se comparado com os outros comandantes do time alviverde na temporada, a média é satisfatória. Com Marquinhos Santos, o Verdão marcou quatro gols em seis jogos e, sob o comando de Ney Franco, foram apenas 20 gols anotados em 27 partidas disputadas.

Fora

Um dos destaques do Coritiba na disputa do Campeonato Brasileiro, o volante João Paulo tomou o terceiro cartão amarelo diante do Palmeiras e está fora da partida contra o Vasco, domingo. “Claro que quando a gente perde um atleta da qualidade do João Paulo neste momento que a gente vive, vai fazer falta, mas o grupo é espetacular. Os atletas têm potencial e estou muito tranquilo quanto a isso”, pontuou o comandante.

Apito

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou ontem a escala de árbitros para a última rodada do Campeonato Brasileiro. O gaúcho Anderson Daronco, que pertence ao quadro da Fifa (e que para muitos foi o melhor árbitro desta temporada), vai apitar o duelo decisivo entre Coritiba e Vasco, domingo, às 17h, no Couto Pereira.

É a primeira vez que o juiz vai apitar uma partida do Coxa neste Brasileirão e a quinta em um duelo do Vasco. Nos outros quatro jogos em que apitou as partidas dos cariocas, foram duas derrotas, um empate e uma vitória do time cruzmaltino. Por sinal, a CBF confirmou que todos os jogos da última rodada serão no domingo às cinco da tarde, sem antecipações.

Todos os olhares! Leia mais do Coxa na coluna do Massa!

Paraná Online no Facebook