O Coritiba promete uma solução para os problemas de atendimento nas lanchonetes do Couto Pereira, ocorridos na quarta-feira, durante o jogo com o Internacional. Devido a uma disputa judicial com a atual prestadora do serviço, a empresa Futebol Total, os torcedores foram prejudicados. Os quiosques do estádio foram fechados e umas poucas barracas improvisadas tentavam atender aos 13 mil presentes. A Futebol Total acusou o Coxa de impedir o acesso dos funcionários às lanchonetes.

Em uma nota divulgada ontem, o clube reconheceu o problema causado pela ação judicial, mas promete mudanças para breve. “A partir de agora, o Coritiba visa novos horizontes. Jogo a jogo, gradativamente, mudanças serão implementadas com novos serviços, novos espaços e melhor qualidade no atendimento de bebidas e alimentos”, diz o comunicado.

A diretoria alviverde tenta rescindir o contrato com a Futebol Total, assinado na gestão de Giovani Gionédis, que presidiu o clube entre os anos de 2004 e 2007. O objetivo, segundo a nota divulgada no site oficial, é de oferecer os novos serviços já a partir do próximo jogo no Alto da Glória, diante do Flamengo, dia 8 de setembro. “Serão mais de 20 pontos de atendimento em todos os setores do estádio, além de vendedores ambulantes, com uma maior diversidade de produtos, garantindo assim o atendimento que está à altura de nossos torcedores”, promete o clube.