Com o impasse em relação ao projeto da WTorre, o Coritiba estuda três alternativas para o Couto Pereira. O vice-presidente Marcos Hauer garante que em três meses o clube define o destino do estádio.

A primeira hipótese é buscar novo parceiro, possivelmente do mercado local. “Dificilmente conseguiríamos algo tão sofisticado (como o projeto da WTorre), mas exigiremos proposta digna de nossas cores”, afirma Hauer.

Outra possibilidade é a demolição e reconstrução do Couto Pereira com recursos próprios. Neste caso, o problema seria a necessidade de arrecadar imenso volume de dinheiro, o que certamente atrasaria a obra.

Por fim, o clube estuda reformar amplamente o estádio, por etapas, embora reconheça que a hipótese não seja a ideal. “O problema é a idade do nosso estádio. Ele pode durar mais cinco ou dez anos. E depois disso? Alguém precisa tomar essa iniciativa”, falou o dirigente.