Com a contratação de Dado Cavalcanti, o Coritiba perpetua a tradição de ser um celeiro formador de promissores treinadores. Vários dos últimos profissionais que passaram pelo clube nos últimos anos deixaram o Alto da Glória para trilhar suas carreiras com sucesso. O exemplo mais emblemático é o de Marcelo Oliveira. O significativo trabalho que conduziu à frente do Alviverde entre 2011 e 2012, onde conquistou dois títulos estaduais, o recorde mundial de 24 vitórias consecutivas e ainda alcançar as finais da Copa do Brasil por dois anos consecutivos credenciou o treinador para assumir o bom time do Cruzeiro, atual campeão brasileiro.

Sucessor de Marcelo Oliveira, Marquinhos Santos, novo técnico do Bahia, foi outro treinador a confirmar seu nome em âmbito nacional depois de trabalhar no Coritiba. Além de salvar o clube do rebaixamento, no Brasileiro de 2012, o jovem treinador de 34 anos sagrou-se campeão paranaense este ano, e teve personalidade para levar a equipe, nas dez rodadas iniciais, à liderança do Brasileiro. ‘Na primeira conversar que tive com o presidente fiz essa alusão aos profissionais que aqui vieram, deram sua parcela de contribuição e saíram para tomar outros ares, se destacando no cenário nacional. Isso também é mérito da direção, das pessoas que fazem o clube e não trabalham apenas com nomes, e sim com profissionais. Isso representa pra mim uma tranquilidade e confiança a mais, por saber que passam profissionais com o meu perfil e minhas características. Me encaixei bem dentro desse perfil e espero dentro da minha concepção de futebol conquistar meus objetivos’, afirma Dado.

Bola da vez na escola alviverde, Dado não esconde que o desafio é o mais importante da carreira e a ‘falta de grife’ não será uma barreira para fazer um bom trabalho. ‘É o mais expressivo e é onde eu me sinto mais confiante. O grande desafio significa grande oportunidade. Me sinto não somente preparado, mas muito confiante’, finaliza.