O Coritiba levou a melhor e nos pênaltis (5×4) conquistou o torneio Foz 100 Anos diante do rival Atlético. O jogo foi disputado ontem à tarde no estádio do ABC, em Foz do Iguaçu, em comemoração ao centenário da principal cidade turística do Paraná. Apesar do caráter “amistoso” e do fato de os dois clubes contarem com seus times alternativos, o clima foi de rivalidade, com direito a três expulsões e disputas acirradas entre coxas e atleticanos.

O torneio disputado na fronteira tinha como objetivo movimentar atletas que não estavam sendo utilizados pelo técnico Celso Roth. Comandados por Edison Borges e observados por Beto Ferreira, auxiliares-técnicos, os garotos encararam os jogos como decisões, mirando uma chance de recuperação dentro do clube. “Esse vem sendo o nosso desafio. À exceção do Fumaça, todos são meninos e que estão tentando resgatar a confiança. Não é fácil ficar apenas treinando, sem um objetivo imediato”, ponderou Edison Borges.

Com a bola rolando, a raça e a transpiração sobrepujaram a inspiração. Poucas oportunidades foram criadas e, quando conseguiam se desvencilhar da marcação, os atacantes paravam em Vaná e Renan Rocha. O Coritiba esteve perto de abrir o placar com Anderson Aquino e ainda reclamou de um impedimento marcado em lance que Diogo Sodré “foi pra rede”. Do outro lado, o Atlético teve a sua melhor chance com Bruno Pelissari, que obrigou Vaná a grande defesa.

No final do primeiro tempo, o clima esquentou e Jonatan Lucca (do Atlético) e Wanderson (do Coritiba) acabaram expulsos. O Verdão se complicou logo no início da fase final, quando Diogo Sodré também levou o cartão vermelho. O Rubro-Negro até pressionou, mas a melhor oportunidade veio no último minuto, com Thiago Primão, que perdeu uma chance incrível, de frente para o gol.

Com o empate sem gols, a decisão foi para os pênaltis e o Coxa levou a melhor. Denner, Ivan, Djair, Igor Leandro e Primão converteram. Do outro lado, o Atlético marcou com Chico, Renato, Milton Júnior e Maycon, mas Gustavo, na última cobrança, errou.