Depois de dez jogos no comando do Coritiba, o técnico Ney Franco, diante de alguns problemas, tanto por suspensão ou lesões, que castigam o elenco alviverde, ainda não definiu a base do time coxa-branca que está disputando o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil. Até agora, o comandante do Verdão já utilizou nada menos do que 32 jogadores, ou seja, quase três times completos em nove partidas pela Série A do Brasileirão e um duelo pela Copa do Brasil.

Apesar da quantidade excessiva de atletas utilizados em tão pouco tempo de trabalho, o volante Alan Santos afirmou que isso, apesar dos resultados ruins, não tem atrapalhado o time alviverde na disputa do Brasileirão. “O Ney (Franco) tem colocado a sua teoria, a sua forma de jogo, a sua parte tática. Muda o jogador, a característica, mas a forma de jogar é sempre a mesma. Temos jogadores de qualidade e isso não atrapalha”, pontuou o jogador. “Estamos tendo problemas por suspensão e lesão, que está tendo bastante no clube, e sempre terá mudança de um jogo para outro”, emendou Alan Santos.

A posição que o técnico Ney Franco mais utilizou jogadores foi o ataque. Ao todo, novo atacantes já foram testados na posição e Rafhael Lucas e Marcos Aurélio, titulares no duelo contra o Corinthians, no último domingo, foram os que mais atuaram, com nove vezes cada. O setor de contenção também teve uma quantidade alta de atletas utilizados. Ao todo, seis volantes atuaram na equipe nos dez jogos sob o comando do técnico Ney Franco.

Promessas! Leia mais do Coxa na coluna do Massa!

Nas laterais, quatro jogadores foram utilizados. Neste período em que está no clube, Ney Franco só pôde contar até agora com o lateral-esquerdo Henrique para a posição. Quando o jovem jogador não esteve à disposição, o treinador improvisou os meio-campistas Esquerdinha, Rodolfo, o zagueiro Juninho e o lateral-direito Ivan na posição. No setor de criação, cinco jogadores foram usados pelo comandante alviverde. Os preferidos do técnico coxa-branca foram Thiago Galhardo, que jogou nove partidas, e Esquerdinha e Lúcio Flávio – que também atuou como volante -, com sete participações cada.

Luccas Claro é um dos que mais jogou na “era Ney Franco”. Foto: Giuliano Gomes.

Três goleiros e cinco zagueiros

Na defesa, além dos goleiros Wilson, Bruno e Vaná já utilizados pelo treinador alviverde, cinco zagueiros foram testados na posição.

Os zagueiros Luccas Claro e Leandro Silva, com nove e oito jogos realizados até agora, respectivamente, formam a dupla preferida do técnico Ney Franco. Entretanto, além de Welinton, que já deixou o clube, os jovens zagueiros Walisson Maia e Juninho, quando precisou, entraram na equipe e tiveram boas atuações com a camisa coxa- branca.

Força?

O goleiro Wilson ressaltou a força do grupo coxa-branca, principalmente quando os jogadores titulares da zaga alviverde não puderam atuar e foram substituídos a altura por Walisson Maia e Juninho. “Não está atrapalhando. A gente viu nas últimas partidas, principalmente na parte defensiva, jogadores se destacando como o Juninho e o Walisson, que são zagueiros jovens e demonstraram muita personalidade e qualidade. Assim é o Campeonato Brasileiro, quando perdemos jogadores, estamos mostrando que temos jogadores que se precisar vão dar conta do recado”, concluiu o goleiro alviverde.