Os torcedores do Coritiba poderão reviver hoje e amanhã, no ensaio da Acadêmicos da Realeza, os bons tempos de bailes da Não Agite, bloco carnavalesco de sucesso nas décadas de 1950/1960 ligada ao clube.

Isso porque a escola de samba irá homenagear o Alviverde sábado, na Avenida Cândido de Abreu, comemoração do centenário. No entanto, a ligação do Coxa com o Carnaval e com o samba vem de longe. Afinal o Alto da Glória já teve os melhores bailes da capital, onde os blocos faziam a festa. Apesar do nome, os coritibanos e também torcedores de outros clubes agitavam mesmo.

“O Não Agite era um bloco do Coritiba, foi três, quatro vezes campeão, eu não participava, mas meus irmãos compareciam”, relembra Luiz Geraldo Mazza, jornalista da Rádio CBN e da Folha de Londrina. Ele sabe porque estava bem próximo aos foliões. O Não Agite nasceu na casa dos Mazza, no Alto da Glória, e a ligação com o Alviverde foi imediata.

“Tinha uma dependência do Coritiba, mas não chegava a ser uma escola de samba. Escola de samba é um rancho ampliado e o Não Agite era na verdade um bloco. Depois, a Mocidade Azul deu uma dimensão de escola de samba com mais de mil componentes”, pondera.

Mesmo assim, ele não deixa de enaltecer os foliões da época. “Era muito interessante, eles saíam com fantasias bastante originais. Uma vez saíram de mongóis e o pessoal do Colorado se fantasiou de garrafa de cerveja”, destaca o jornalista. E mais. Os blocos eram um dos pontos altos dos bailes, já que entravam de graça, mas garantiam a festança.

“O baile do Coritiba era o maior acontecimento do Carnaval”, aponta. Apesar do nome pregar o contrário. “É uma contradição em termos e talvez explique o jeito de Curitiba encarar a festa”, analisa.

Mas, hoje e amanhã, no Rodeo Country Bar (Av. Erasto Gaertner), o agito é garantido com a Acadêmicos. Serão os últimos ensaios da escola antes de entrar na avenida no sábado.

A agremiação homenageia o Coxa com o enredo “Do Alto da Glória para 100 anos de história” e a expectativa é contagiar os espectadores da mesma forma como acontece nas arquibancadas do Couto Pereira. Os ensaios começam às 20h30 e o ingresso custa R$ 3.