As atenções do Coritiba estão voltadas para o confronto contra o Paysandu, amanhã (03), em Belém-PA, pela partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. Porém, as finais do Campeonato Paranaense contra o Atlético, a partir de domingo, também estão entre as prioridades do clube. Principalmente, porque podem render ao Coxa um tricampeonato que não vem desde 1973, e que na sequência acabou em um hexacampeonato estadual. A ponto de a diretoria alviverde prometer uma premiação especial para os jogadores, no caso de uma conquista.

Quem revela a intenção é o vice-presidente do Coxa, Ernesto Pedroso. “Para qualquer time disputar um tricampeonato é fantástico. É uma jornada muito dificil. Queira ou não, temos rivais fortes. O interior vem dando muito trabalho. Então é honroso para nós, mas ainda temos duas partidas complicadas pela frente para chegar ao título. Se vier, haverá uma premiação sim, mas é uma coisa pessoal, algo íntimo. Não podemos divulgar esse tipo de coisa e nem valores”, afirmou.

Entretanto, esse bônus não deve ser tão alto. Isto porque, de acordo com Pedroso, o mais importante para um atleta é o seu contrato e o envolvimento com o clube. “Hoje o bicho não representa tanto quanto o envolvimento com o time, o contrato. Todos os jogadores são envolvidos na história do Coritiba e querem participar dela. Acho válido [premiar]. É uma forma de premiar os jogadores, mas não vejo como o mais importante”, disse.

Caso o título seja conquistado, o Coxa levará seu segundo tricampeonato paranaense na história. Um status que não é muito comum na competição. Além do Alviverde, somente o Paraná Clube, na década de 1990, entre 1993 e 1995 – quando depois foi pentacampeão, em 1997 -, e o Atlético, entre 2000 e 2002, alcançaram o feito.

Porém, no caso do Furacão, o último título da sequência foi no Supercampeonato paranaense. Naquele ano, o Trio de Ferro, além do Malutrom – atual Corinthians-PR -, disputou a Copa Sul-Minas e o Campeonato Paranaense foi disputado apenas pelos times do interior, com o Iraty ficando com a conquista do Estadual. Depois, os quatro melhores do interior – Iraty, Grêmio Maringá, Londrina e Prudentópolis -se juntaram ao quarteto da capital e disputaram o Supercampeonato.