Com o 4 x 1 sobre o Roma Apucarana, ontem à tarde, o Coritiba mostrou que continua mais irresistível do que nunca e está a um simples empate de se tornar bicampeão paranaense.

Isso pode acontecer domingo que vem, na Arena da Baixada, diante do rival Atlético, que está 5 pontos atrás e é o único que pode evitar a definição antecipada do título.

Uma tarefa nada fácil para o Rubro-Negro, que vai encarar um verdadeiro Tsunami Verde. Ontem, o Coxa novamente não tomou conhecimento do adversário.

Venceu quando quis, no estádio Bom Jesus da Lapa, e chegou a 20 vitórias consecutivas, considerando Estadual e Copa do Brasil. Agora, está a uma de igualar o recorde obtido pelo Palmeiras em 1996.

Em outra conta, o Coxa já soma 25 jogos sem perder na temporada 2011. Mas ganhar ontem não foi moleza. Após a virada do Furacão para cima do Paranavaí, no sábado, a obrigação de vencer recaiu sobre o Coritiba.

O time do Alto da Glória secou o rival, que devolveu a “torcida” contra no dia seguinte. Mas ambos foram competentes. O Alviverde bem mais, por que em nenhum momento esteve atrás no marcador, mesmo com o Roma Apucarana ainda lutando por um lugar na final do interior, que vale Série D e a disputa de R$ 50 mil.

Por isso, o Coxa nem esperasse o presente que a zaga deu logo no início. Numa recuada de bola, Rafinha aparou e acionou Everton Ribeiro pela esquerda. Ele ajeitou e mandou no canto, logo a 2 minutos de jog.

Estava pintando a goleada, mas o Dragão do Norte não se abateu e foi para cima. Numa bela tabela, Cassiano recebeu de volta de Warley e disparou contra Edson Bastos, aos 12, que não teve o que fazer.

O empate não era o que o Coritiba queria e muito menos o festival de gols perdidos por Bill. No primeiro lance, o atacante furou na pequena área; depois, com liberdade, chutou pelo alto a dois metros da linha do gol; na terceira vez, chutou errado e a defesa salvou.

Por sorte, ele não desistiu e de tanto tentar, e marcou. Após rebote de Rudy, já aos 5 do segundo tempo, Bill chegou para conferir e a sorte ajudou, com a bola desviando na defesa e enganando o arqueiro.

Construída a vitória, e com o Roma sem muitas forças, o terceiro gol veio através de Emerson, que aproveitou escanteio de Rafinha para subir mais alto que Rudy e mandar para a rede, aos 14.

Perdendo, Richard Malcka mudou o time e deu mais gás ao ataque, enquanto Marcelo Oliveira tratou de administrar a vantagem. Mas quem tinha mais qualidade era o Coxa e Geraldo fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Marcos Aurélio, aos 43, eceber na área, limpar da zaga e chutar no canto.

A torcida alviverde na arquibancada fez festa e nem se incomodou com o pênalti de Pereira em Warley. O próprio cobrou, já nos acréscimos, e acertou a trave no último lance da partida em que o Coritiba, mais uma vez, mostrou quem manda no Estadual 2011.