A partida de hoje, às 21h, contra a Ponte Preta, em Campinas, é decisiva para o Coritiba. O compromisso representa o primeiro de cinco confrontos que o time tem contra adversários diretos na luta contra a degola nesta reta final de Brasileiro.

Quis o destino que o Coxa, atual 16.ª colocado, com 34 pontos e 35% de risco de rebaixamento, enfrentasse nas próximas dez, e decisivas rodadas, cinco clubes igualmente ameaçados pelo descenso: Ponte Preta, Vasco, Portuguesa, Criciúma e São Paulo. Destes confrontos, quatro o Alviverde fará longe do Couto Pereira, onde o time não vence há dois meses. A exceção fica por conta do confronto contra o Criciúma, que será no Alto da Glória.

Além da Macaca – penúltima colocada, com 26 pontos, e 90% de chances de cair -, na sequência o Coritiba enfrentará Vasco e Portuguesa (18.º e 14.º colocados, respectivamente) Criciúma (17.º) e na última rodada do Campeonato Brasileiro irá enfrentar o São Paulo (15.º) no Morumbi. O consolo diante desta tabela ingrata é que, apesar da queda vertiginosa de rendimento, o Coritiba ainda depende exclusivamente de seus esforços para escapar do rebaixamento.

Na primeira das cinco brigas de foice que terá pela frente, o Coritiba contará com poucas alterações no time titular. Com o sucessivas falhas do zagueiro Chico, o técnico Péricles Chamusca deverá promover Luccas Claro para compor ao lado de Leandro Almeida a dupla de defensores. Na lateral-direita, Victor Ferraz, com dores no tornozelo direito, tende a ser poupado. Gil tende a ser deslocado para o setor, abrindo espaço para Willian na contenção.

Recuperado de uma lesão no tornozelo esquerdo, que o havia tirado da derrota para o Vitória por 2 x 1, na rodada passada, o meio-campo Alex volta a qualificar o Alviverde. ‘O Alex sempre ajuda. É um jogador que quando está em campo sempre ajuda’, analisa o atacante Júlio César.