A briga judicial entre o Coritiba e o atacante Ariel Nahuelpán teve mais um round ontem na Justiça do Trabalho, com a reabertura de um processo do jogador contra o clube por falta de pagamento de FGTS.

O julgamento do caso tinha sido arquivado pela ausência do argentino, que estava atuando no Racing Santander, da Espanha, mas agora o Tribunal resolveu retomar a questão.

Com isso, o processo que o Alviverde pede a multa rescisória por quebra de contrato do atleta ficará paralisado aguardando a decisão do primeiro processo. Segundo a defesa do atleta, a decisão de ontem mantém a liberação de Ariel para atuar onde bem entender, mas obriga o jogador a comparecer a nova audiência a ser marcada pela Justiça do Trabalho em Curitiba.

 

Essa data ainda não foi definida. No clube, no entanto, a decisão foi recebida com naturalidade. Segundo o diretor jurídico, Gustavo Nadalin, o pedido de indenização do clube demorará mais tempo a ser julgado e nada mais.

“São coisas distintas. Um trata do depósito do FGTS e o outro trata da validade do contrato”, pondera o dirigente. Para o clube, mesmo que o jogador ganhe a causa, a eventual falta de pagamento seria descontada do processo contra o argentino.

Por sua vez, a defesa do atleta acredita que uma vitória do atacante contra o clube no processo que pede a rescisão de contrato pela falta de pagamento do FGTS encerra o caso, uma vez que não haveria motivo para um novo acerto entre as partes e libera Ariel de uma vez por todas para seguir sua carreira onde quiser.