Para garantir que a próxima temporada seja mais bem-sucedida se comparada à atual, principalmente do ponto de vista de conquistas e execução do planejamento, o Coritiba aposta em soluções caseiras. Além de selar a paz com o principal jogador do elenco, e garantir a participação do meia Alex no projeto 2014, o presidente Vilson Ribeiro de Andrade efetivou o ex-técnico interino Tcheco – funcionário do mês pelos lados do Alto da Glória, por ter livrado o clube do rebaixamento – na gerência de futebol.

Se o ano de 2013 ficou marcado pela execução falha do planejamento, uma vez que o clube passou longe de conquistar um título de expressão e quase terminou a temporada amargando rebaixamento no Brasileiro, a diretoria alviverde já se movimenta para projetar um 2014 muito melhor. A primeira – e mais sensata – medida foi assegurar o retorno da política de boa convivência ao Alto da Glória. Mais especificamente com o meia Alex, cuja relação com o presidente se encontrava bastante desgastada. O ato conciliatório ocorreu horas antes da apresentação de Dado Cavalcanti no comando técnico do time, ainda na manhã de ontem. A conversa foi longa – atrasando, inclusive, a coletiva de imprensa do novo treinador – mas, de acordo com Vilson Ribeiro de Andrade, esclarecedora o suficiente para bancar o jogador em 2014.

Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Alex acertou os ponteiros com o presidente e fica até o final de 2014.

‘Foi uma conversa de duas pessoas inteligentes, duas pessoas que têm um único objetivo e amam o Coritiba. Aí tudo fica mais fácil. Expus minha visão, a visão do clube, o planejamento e a estruturação do clube. Ele entendeu que realmente era aquilo que ele imaginava, e a continuidade dele é uma consequência natural. Não vejo o Coritiba sem Alex’, revelou o dirigente.

O segundo remédio caseiro proposto por Vilson é Tcheco. Se já era ídolo da torcida, o ex-jogador caiu nas graças da diretoria após salvar a equipe do rebaixamento à Série B. Peça estratégica do projeto, Tcheco será responsável por controlar o meio-de-campo – função que fazia com afinco na época dos gramados – entre a diretoria e os jogadores. ‘Me sinto honrado de ter concluído o objetivo (da permanência na primeira divisão). Isso aí é uma felicidade que transborda. Foi muito desgastante, mas a gente fez valer a pena. Sou um funcionário e sigo no clube. Termino esse ano colaborando com o que me cabe, participando do planejamento dentro do meu papel’, afirma Tcheco. Outro prata da casa e que completa a estrutura do departamento de futebol é o novo superintendente executivo Mário André Mazzuco. O profissional foi atuante na reformulação das categorias de base do clube, que conquistou 20 títulos nos últimos anos. Responsável direto pelas contratações, Mazzuco substitui Felipe Ximenes, ex-braço direito de Vilson Ribeiro de Andrade e que foi pro Fluminense.