Enquanto o Atlético reclama até no STJD contra o polêmico artigo 9.º do regulamento do Paranaense, o Coritiba acata a determinação do adendo feito pelo TJD-PR e apoiado pela Federação.

De acordo com Homero Halila, diretor de futebol do Alviverde, não tem sentido uma equipe jogar todas as partidas em casa. “É lógico, é um raciocínio claro que nenhuma tabela traga esse tipo de benefício”, justificou.

De acordo com ele, o importante era definir com antecedência quem iria jogar com quem na segunda fase. “Sem confrontos dirigidos”, destacou o dirigente. E isso foi contemplado.

No entanto, como o Rubro-Negro não gostou de ver o primeiro da primeira fase enfrentando o segundo na casa deste, o protesto chegou ao tapetão. “Por mais que se concorde com um regulamento, vai sempre gerar uma insatisfação em algum clube”, analisou.

Agora, o que Halila reconhece é que o texto do regulamento foi mal redigido. “Com certeza”, concordou. Assim, no Alto da Glória, se a equipe ficar entre os quatro primeiros colocados aceita jogar quatro partidas em casa e três fora como ficou definido no tribunal.