Nesta sexta-feira (10), o Coritiba recebe o Sampaio Corrêa, às 21h30, no Couto Pereira, em um compromisso decisivo para que ainda tenha chances de figurar no G4 da Série B do Campeonato Brasileiro. Como alguns jogos da rodada já aconteceram, o Coxa está na nona colocação, com 28 pontos, e, por isso, a vitória é fundamental para evitar que o pelotão de cima se distancie.

Vindo de uma derrota para o Fortaleza, o líder da Segundona, por 2×1, a semana foi de muita análise dos erros cometidos e de concentração para o início do returno, como explicou o técnico Eduardo Baptista.

“Fizemos um balanço de tudo que foi feito. Atacamos algumas linhas que precisamos evoluir. Houve bastante cobrança interna para a gente ajustar, porque precisamos fazer um segundo turno diferente, principalmente fora de casa. Estamos trabalhando, cobrando muita concentração para que a gente possa iniciar esse returno de forma diferente”, comentou o treinador.

Baptista lembrou também que para atingir os números esperados nessa segunda etapa da Série B, contará com uma espécie de cartilha de metas, que se baseiam a cada quatro rodadas.

“Tem uma pontuação que a gente controla, que estamos vislumbrando. Lógico que Série B não tem como falar que um adversário é mais fácil ou mais difícil, mas o que atrapalhou esses números foram os resultados fora de casa. Dentro superamos os nossos números. Temos mini-metas e a cada quatro jogos temos um controle de pontos. Estamos sempre motivando e falando para que no final a gente consiga atingir o que buscamos”, explicou.

O treinador garantiu que não está faltando entrega de todo o elenco, mas que a missão agora é transferir as boas atuações nos treinos para as partidas, o que não aconteceu até agora no torneio, uma vez que o Alviverde não teve uma atuação convincente.

Confira a classificação completa da Série B

“Nunca faltou empenho, sobretudo nos treinamentos. O que faltou, principalmente fora de casa, foi uma disposição maior para brigar com os adversário e é isso que a gente tem batido com os jogadores. Os treinamentos são muito bons, falta fazer tudo isso no jogo. Precisamos iniciar em um nível de concentração alto. Muitas vezes o adversário não é tão qualificado, mas vem para uma guerra. Os adversários vem prontos para bater e a gente tem que estar igual. Começou o jogo nossa postura tem que ser forte o treinador”, finalizou o comandante coxa-branca.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!