Vencer ou vencer. Este é o lema do Coritiba para a partida contra o Vitória, hoje, às 22h, no Couto Pereira, pelo segundo duelo das quartas de final da Copa do Brasil. Como o placar ficou no 0 x 0 em Salvador, só resta ao Coxa ganhar para chegar às semifinais.

Para isto, como tem sido de costume em jogos decisivos, o técnico Marcelo Oliveira fez um treino secreto, ontem, onde já escalou a equipe. “Fizemos um treinamento muito bom e estamos motivados para fazer uma grande partida. Às vezes, você tem a escalação divulgada e facilita a marcação. Quando você tem a possibilidade de mudar, trabalhar alguma coisa, é importante. São detalhes que não ganham o jogo, mas podem fazer a diferença”, explicou.

Porém, a formação da equipe não deve contar com nenhum tipo de surpresa. “Não, nem tanto. O nosso time basicamente é o mesmo. Um ou outro que você avalia a parte física, técnica, mas estamos fortes para este jogo”, garantiu.

Mesmo assim, algumas posições estão em aberto. No meio-campo, a tendência é que Sérgio Manoel comece a partida ao lado de Júnior Urso, mas Djair e Willian não estão descartados. Já no ataque, Éverton Costa foi titular nos dois jogos recentes, mas Marcelo Oliveira conversou muito com Anderson Aquino no final do treino. “São opções: o Sérgio, o Djair e o próprio Willian, que com um pouco mais de treinamento pode se apresentar em condições melhores amanhã. Por isso, deixamos para decidir de última hora”, declarou o treinador.

A principal mudança no Coxa deve ser a postura ofensiva. Nas três partidas disputadas recentemente, o Alviverde passou em branco, o que não pode se repetir hoje. Os próprios jogadores admitem que se tivessem feito gol em Salvador, a situação seria bem diferente agora. “Queríamos ter feito gols fora de casa, mas agora temos que entrar em campo pensando na vitória. Sabemos da importância deste jogo para passarmos para a próxima fase, mas do jeito que a equipe vem jogando, vai buscar o resultado”, afirmou o lateral-direito Ayrton.

Entretanto, o comandante coxa-branca alertou que o time não pode se afobar em busca do gol, devido ao regulamento da competição, e pediu equilíbrio entre ataque e defesa. “Às vezes você quer atacar muito, porque está em casa, mas tem que pensar no regulamento, que é traiçoeiro. Fomos para a Bahia, não perdemos o jogo, não levamos gol, e o Vitória precisa de apenas um gol, mesmo que leve um”, lembrou Marcelo Oliveira.