A derrota por 1×0 para o Londrina, na última quarta-feira (29), não mudou em nada a situação do Coritiba no Campeonato Paranaense. Mesmo com o tropeço, o Coxa se manteve na vice-liderança e agora pode ter vantagem nos mandos de campo do mata-mata. Porém, o técnico Pachequinho não saiu satisfeito de campo.

O treinador admitiu que a falta de entrosamento prejudicou um pouco a atuação da equipe, mas criticou ferozmente a arbitragem, principalmente no lance da expulsão do atacante Léo Santos, no início do segundo tempo. Para ele, ficar com um a menos foi decisivo para o resultado final.

“Foi um primeiro tempo equilibrado, onde alternamos bons momentos e tivemos possibilidade de abrir o placar. Mas com o adversário precisando vencer acabou se expondo e veio para cima. No segundo tempo nossos planos foram prejudicados, principalmente, por conta da expulsão. No primeiro cartão foi uma jogada normal, sem necessidade do cartão. E no segundo cartão nos pegou de surpresa”, afirmou Pachequinho.

O meia Tiago Real, um dos poucos que tiveram um bom rendimento pelo lado coxa-branca, também enalteceu o primeiro tempo da equipe e ressaltou que as falhas aconteceram justamente pela falta de entrosamento, mas que era o momento em que se podia errar.

“Faltou um pouco de entrosamento. Até fizemos um jogo equilibrado, mas pecamos na bola alta, tivemos essa dificuldade. Mas muitos jogadores que não vinham jognado, e isso faz diferença na cobertura, troca de posição. Mas agora é para valer e não pode ter mais erros”, declarou o jogador.