Mesmo com a expectativa em torno do substituto de Ivo Wortmann, que foi demitido após a derrota (1 a 0) em casa pro Iraty, no último domingo, a diretoria do Coritiba deverá apresentar primeiro o novo coordenador de futebol para depois sair em busca de um treinador.

“Uma coisa não excluiu a outra”, diz o presidente Jair Cirino dos Santos, mas a direção pretende acelerar mais a busca pelo profissional que vai cuidar do planejamento da bola do que quem irá comandar a equipe em campo. Tanto que ontem fez mais uma entrevista e ainda tem outro para sabatinar antes de definir quem será o substituto de Paulo Jamelli, demitido há três semanas.

“Hoje (ontem), entrevistamos um candidato e ainda temos outros, mas essa escolha queremos definir ainda essa semana”, revela o dirigente. De acordo com ele, bons candidatos é o que não faltam. “Estou surpreso com o nível deles, com o conhecimento esportivo, não sabia que havia tantos bons profissionais no mercado”, analisou Cirino. Entre os mais comentados estão Ilton José da Costa, Borba Filho, Ademir Alcântara, César Sampaio, Antônio Carlos Zago, Evair e até Antônio Lopes.

Mas e o treinador? “Não temos técnico, ou melhor o nosso treinador é o Edison Borges (que está interinamente no comando técnico)”, avisa o dirigente. Segundo ele, as especulações podem até atrapalhar uma definição.

“Ligam para o René (Simões) e perguntam se foi contatado e ele diz não. Ligam para o Celso Roth e fazem a mesma pergunta e ele também diz não e tem o que dizer mesmo porque não entramos em contato com nenhum deles”, aponta. Assim, treinador deve demorar um pouco mais. “Só vamos anunciar depois que estiver tudo acertado”, destaca.

De qualquer forma, a torcida faz até campanha para ver René de novo no comando da equipe. O treinador, por sua vez, além de negar que tenha sido convidado não nega a vontade de voltar ao Alto da Glória e até facilita o acerto financeiro pela ligação emocional com o clube.

Mesmo assim, essa escolha deve esperar a definição da contratação do coordenador. Com o novo dirigente no clube, a diretoria deverá trabalhar em torno dos nomes que estão no mercado como Celso Roth e até Ney Franco, primeira opção no ano passado e que pode balançar no Botafogo caso perca o título carioca para o Flamengo.