Coritiba não suportou a pressão no Beira-Rio

O Coritiba foi valente, conseguiu encarar bem o Internacional na maior parte do tempo, mas não suportou a pressão e perdeu por 3 a 1 no Beira-Rio. Com o resultado, no primeiro confronto da semifinal da Copa do Brasil, o Alviverde precisa vencer por 2 a 0 no Couto Pereira na semana que vem ou por três gols de diferença com outro placar.

Se fizer o mesmo resultado de ontem a favor, a disputa irá para as penalidades. Antes disso, porém, o Coxa terá o Goiás às 18h30 de sábado, em casa também, no retorno ao Brasileirão.

Como já tinha avisado o técnico René Simões, para enfrentar o Internacional de igual para igual no Beira-Rio era necessário fazer algo diferente, algo inovador. Talvez ninguém tenha tentado, mas o Coritiba mostrou que não tinha medo de todo o favoritismo do adversário.

Não só na formação tática, com Pedro Ken na meia e com Rodrigo Mancha na zaga, mas também na disposição. O Alviverde enfrentou os gaúchos e conseguiu até pressionar nos minutos iniciais. E mais. Saiu na frente num golaço de Marcos Aurélio. Márcio Gabriel avançou bem pela direita e cruzou na medida para o atacante fuzilar.

A vantagem era tudo o que o Coxa queria para colocar os nervos no lugar, mostrar ao Colorado que não teria facilidade e, quem sabe, buscar mais. Mas o empate veio logo. Nilmar foi lançado na área, mas não dominou.

No entanto, Taison estava atento e mandou no canto. Dessa vez, foi o Inter que se acalmou, tocou mais a bola e deu trabalho para a equipe de René se segurar. Mesmo sem Nilmar em campo, que se machucou e foi substituído por Alecsandro. Era a mostra do poderio do Internacional, com um elenco estelar, e que voltaria na segunda etapa com tudo para buscar a virada.

Ao invés de entrar com o ímpeto do início do jogo, o Coxa, dessa vez, resolveu esperar a pressão e se defender. O Colorado agradeceu e quem mais vibrou foi Taison.

Livre, ele passou a ditar o ritmo do jogo e levou os gaúchos à vitória. Como já tinha feito um, serviu bem a Alecsandro, que mandou no canto. Ele continuou em cima e fez boa jogada com Alecsandro, que passou a Andrezinho, que mandou no canto.

Com 3 a 1 contra, René resolveu mexer na equipe e lançou mão de Hugo, Cleiton e Ramon. No entanto, o Alviverde tentou pressionar e buscar pelo menos o segundo, mas não deu.