O Coritiba joga hoje à noite (23h, pelo horário de Brasília) as últimas fichas para salvar o planejamento da temporada. A partida de volta contra o Itagüí, válida pelas oitavas de final da Sul-Americana, representa efetivamente a chance derradeira para a manutenção do sonho de disputar a Libertadores do ano que vem. Sonho, aliás, que arrefeceu depois da derrota por 1 x 0 no jogo de ida. Por isso, o Coxa disputará a partida de volta com um time reserva e com 15 jogadores na delegação.

Para avançar na competição, o Alviverde terá que, no mínimo, devolver o placar de 1 x 0 e levar a decisão para os pênaltis. Em caso de vitória por dois ou mais gols de diferença, o time avança diretamente às quartas de final do mata-mata continental. Só que conseguir a façanha, e seguir na briga pelo título da Copa Sul-Americana, que garante ao campeão vaga na Libertadores de 2014, não será tarefa fácil. A saída, segundo os jogadores que viajaram mais de 4.500 quilômetros, é apostar na união do grupo. ‘O importante é que a equipe está mais unida do que nunca. Isso é bom para conseguir a classificação aqui na Colômbia. Todos têm condições de ser titulares. Vamos fazer o melhor’, afirma o zagueiro argentino Escudero.

Além de Escudero, outros atletas relacionados já figuraram no time titular em 2013: o lateral Victor Ferraz, os zagueiros Chico, Bonfim e Escudero, os meias Lincoln e Vítor Júnior, além ainda do atacante Jânio. Em meio a tão poucas opções, o técnico interino João Marcelo – auxiliar de Péricles Chamusca – contará com somente três atletas no banco de reservas.

Responsável por fechar o gol, o goleiro Vaná prevê uma postura inteligente da equipe, jogando nos erros do Itagüí. ‘No primeiro jogo estava no banco, e vi o time deles bem montado e fechado. Acredito que jogando em casa não vão ficar o tempo todo lá atrás, e teremos brechas para fazer o nosso jogo. É ser inteligente, trabalhar com o gol fora de casa e procurar não tomar gols, por que na parte da frente a galera vai resolver’, garante.

Foi após a derrota pro Itagüí, em setembro, que o técnico Marquinhos Santos e o superintendente de futebol Felipe Ximenes caíram.

Visita

O ex-jogador Aristizábal, que em 2004 disputou a Libertadores pelo Coritiba, visitou a delegação alviverde ontem. Hoje aposentado, e morando em Medellín, o colombiano disse guardar com carinho o período em que atuou pelo Coxa. ‘Foi muito boa a passagem pelo clube, em especial por Curitiba, que é muito boa para se viver. Ainda mais quando o time e a torcida nos recebem bem, e eu fui muito bem recebido’, disse.