As duas vitórias seguidas contra São Paulo, no Morumbi, e Chapecoense, no Couto Pereira, deram um novo rumo ao Coritiba no Campeonato Brasileiro. O time coxa-branca está mais perto do G6 da competição nacional do que da zona de rebaixamento, posição que ocupava no início da semana passada. Sob o comando do técnico Marcelo Oliveira, o Alviverde vai tentar agora embalar no Brasileirão e, quem sabe, retomar a sua luta por uma vaga na Libertadores, objetivo que nunca foi deixado de lado no clube, mesmo com a fase de instabilidade na metade do primeiro turno do torneio.

A sequência de jogos no início do segundo turno pode ser positiva. Neste sábado (12), o Coritiba encara o Atlético-GO, lanterna do Campeonato Brasileiro, em Goiânia. Mesmo sendo fora de casa, o Verdão tem condições de vencer o Dragão, conquistar a terceira vitória seguida e seguir em evolução.

Depois deste compromisso, o Coxa fará dois jogos seguidos no Couto Pereira. Primeiro será diante do Santos, que também está envolvido na disputa da Libertadores, e depois contra o Vitória. Ser forte dentro de casa, inclusive, é algo que Marcelo Oliveira confia para que o Verdão passe a olhar definitivamente para a parte de cima da classificação.

“Quando voltamos ao Couto, inegavelmente não tinha como lembrar o tempo que passei aqui. Uma coisa marcante era que a torcida vinha junto nos jogos. É um novo momento, com outros jogadores e temos condições de melhorar o aproveitamento dentro de casa”, apontou o treinador.

Apesar de ter assumido o comando do Coritiba recentemente, ele avaliou o primeiro turno do Alviverde e dividiu a campanha em duas partes. O comandante coxa-branca ainda comparou o aproveitamento do clube na primeira parte do Brasileirão com relação ao mesmo período dos últimos anos, quando o Verdão apenas limitou-se a brigar contra o rebaixamento.

“Terminamos com mais pontos do que nos últimos três anos no primeiro turno. Isso é muito bom. O nosso primeiro turno pode ser dividido em duas partes. Os primeiros sete jogos, com 14 pontos conquistados e nesses últimos jogos, que são 12, onde fizemos apenas 11 pontos com esses que vieram agora. Foi pouco, teve a queda de produção e estamos tentando detectar isso, dar confiança e acertar também. O Pacheco fazia um grande trabalho, deu essa queda e agora estamos tentando ajustar”, acrescentou.

Confira a tabela completa do Brasileirão!

O momento é outro no Coritiba. Após a chegada de Marcelo Oliveira, o time voltou a jogar bem e a apresentar atuações mais seguras. Mas o trienador quer mais, principalmente ver em campo um Coxa cada vez mais competitivo e aguerrido para buscar os objetivos no Brasileirão.

“Diria que estamos buscando deixar o Coritiba com a cara do futebol atual, que é competir muito, marcar, não deixar o adversário jogar e chegar com mais jogadores na frente. Foram jogos assim seguidos, sem muito tempo de treino. Esperamos que na sequência a gente possa ter um time tão guerreiro e comprometido, com mais envolvimento técnico. Esse é o objetivo do momento”, concluiu Oliveira.