O aproveitamento ruim do ataque do Coritiba tem tirado o sono do técnico Ney Franco. Nos dez dias que o time coxa-branca ganhou de preparação (por conta dos jogos da seleção brasileira nas Eliminatórias da Copa do Mundo) para o próximo duelo diante do Joinville, quarta-feira que vem, em Santa Catarina, na briga direta contra o rebaixamento, o treinador alviverde admitiu que a prioridade a partir de agora é o setor ofensivo alviverde, que com apenas 21 gols marcados até agora, é o terceiro pior do Campeonato Brasileiro.

“Vamos priorizar a parte ofensiva. Os números recentes do segundo turno mostram a nossa defesa sólida depois que a gente usou um tempo para trabalhar a parte defensiva. Conseguimos ajustar a defesa, embora nos dois últimos jogos a gente tenha sofrido cinco gols, mas foram dois jogos atípicos. Vamos entrar agora na parte tática até o dia do jogo onde vamos buscar ganhar uma força ofensiva maior para este restante de campeonato e, principalmente com os retornos do Kléber e do Ruy, vamos ganhar mais opções ofensivas”, apontou o treinador alviverde.

E melhorou

Apesar de ainda ser um dos piores ataques do Brasileirão, o rendimento ofensivo do Coxa, no segundo turno, de fato, aumentou um pouco. Enquanto no primeiro turno o time alviverde marcou apenas 13 vezes e registrou média de 0,6 gols marcados por partida, na segunda parte da competição nacional, foram oito tentos anotados em dez partidas, totalizando média de 0,8 gols por jogo.

Henrique Almeida, artilheiro com oito gols, confia no tempo de trabalho para o time alviverde voltar a marcar diante do JEC.

“O futebol é resultado. Vínhamos de duas vitórias fazendo gols, estava tudo ótimo. Passamos dois jogos em branco e agora começam a falar que o time está pecando na finalização. Isso é até o próximo jogo. Estamos fazendo um trabalho específico neste período e trabalhando em cima das carências que o Ney (Franco) está vendo no time, para que a gente possa melhorar o mais rápido possível e para que na próxima quarta-feira possa estar tudo ok”, acrescentou o camisa 91 coxa-branca.

Só um objetivo

Apesar da escassez de gols incomodar, Henrique Almeida garantiu que o grupo alviverde está focado agora em afastar o risco de rebaixamento que persegue o Coritiba durante o Brasileirão. “Para ganhar os jogos a gente precisa fazer os gols. No primeiro turno a gente fez bons jogos, ganha fora de casa jogos difíceis e melhoramos um pouco. Se ganhar de meio a zero do Joinville os três pontos vem da mesma maneira se a gente ganhar de 5×0. Vamos jogar por uma bola para trazer a vitória”, arrematou o centroavante alviverde.

Grupo mantém confiança

As derrotas recentes não abalaram a confiança do Coritiba para a reta decisiva do Brasileiro. O técnico Ney Franco admitiu a pressão que é estar próximo ainda à zona de rebaixamento, mas afirmou que, após o revés para o Santos, no final do primeiro turno, quando o Verdão chegou à lanterna da competição nacional, o time coxa-branca soube lidar bem com o ambiente externo e conseguiu deixar a zona perigosa.

“Cheguei aqui e o time estava muito pressionado. No momento em que terminou o jogo contra o Santos e a gente perdeu por 3×0, estávamos em último lugar e a oito pontos de sair da zona de rebaixamento.

Conseguimos mobilizar os atletas, saímos da zona de rebaixamento e hoje estamos dois pontos fora dela”, contou o treinador.

Fala, Ney

“Soubemos sair dessa pressão em um momento que se tinha um questionamento em cima da comissão técnica, de alguns jogadores que subiram da base e outros que foram contratados. Estamos trabalhando pressionados o tempo todo. Tivemos dois jogos atípicos contra Cruzeiro e Atlético-MG, sendo que um deles luta pelo título, mas estamos mostrando reação e acredito que assim será o campeonato até o jogo contra o Vasco”, concluiu o treinador.

Quaren,ta e cinco! Leia mais do Coxa na coluna do Massa!

Paraná Online no Facebook