O clássico entre Coritiba x Paraná Clube deverá mesmo ser disputado no Couto Pereira. Isso é o que se espera, porque apesar de toda a embromação da CBF e do STJD não há mais clima para deixar o Alto da Glória interditado.

O clube foi punido com a perda de 30 mandos na Segundona e mais multa de R$ 610 mil e ainda estava tendo que atuar fora de casa pelo Paranaense. Depois da vistoria realizada na sexta-feira, que constatou tudo em ordem, só falta o relatório chegar ao tapetão para que a autorização de uso do estádio possa sair e isso deve acontecer ainda hoje.

“Foi conversado com o presidente (Virgílio da Costa Val) e com o procurador (Paulo Schmitt) e eles disseram que não teriam nada em contrário para a liberação”, revelou Itamar Cortes, advogado do Coxa.

Por isso, ele montou plantão no STJD junto com José Mauro Couto F.º, que comanda a defesa do clube no Rio de Janeiro. “Estamos aguardando e só depende do laudo”, destacou Cortes.

Mas, como em um drama kafkiano, a papelada chegou no final da tarde na CBF e precisou ser copiada várias vezes para então ser apreciada pelo diretor de competições da entidade, Virgílio Elísio da Costa N.º.

Mas, a promessa é que toda a extensa documentação seja enviada hoje mesmo ao STJD e aí a liberação seria imediata. Assim, salvo algum contratempo de última hora, e contratempo é tudo o que o Coritiba vem enfrentando nesse caso, o Couto estaria liberado e a volta para casa no clássico poderia acontecer.

Contratempos, por sinal, ainda podem acontecer porque o tapetão fecha as portas hoje à tarde e só reabre na quinta-feira que vem devido ao Carnaval. E devido ao feriadão o julgamento do recurso do clube contra as punições no Brasileirão do ano passado foram empurrados para o começo de março.

O Alviverde perdeu 30 mandos de jogos a serem cumpridos na Segundona e mais R$ 610 mil de multa pelos distúrbios provocados por torcedores no Couto Pereira após o rebaixamento.

Por enquanto, o clube insiste na condição de vítima e vai defender essa tese no julgamento do pleno do tapetão ainda a ser marcado. No entanto, a possibilidade de uma redução drástica da pena também será bem recebida para que o time possa disputar a maior parte dos jogos em casa e ter boas condições do acesso à primeira divisão ainda este ano.