A chegada de Wellington Paulista ao Coritiba não significa necessariamente uma sombra ao atacante Rafhael Lucas, mas sim uma nova possibilidade de armação do ataque coxa-branca com os dois jogadores. Pelo menos é o que passa na cabeça do técnico Marquinhos Santos e também elogiada pelo atleta, que é o artilheiro do Campeonato Paranaense com quatro gols.

“Para o treinador é importante essas opções porque o ano é longo, as competições vão se acumular. E da maneira que gosto de atuar não vejo problema em jogar com o Rafhael e o Wellington. Por que não jogar os dois?”, indagou o treinador, lembrando ainda das opções de Kerrisson e Paulo Victor, além de Mazinho e Negueba, que são os titulares do ataque, mas pelos lados do campo.

Para o atual camisa 9 do Coritiba o novo reforço é bem-vindo. “Vou trabalhar com pés no chão, o Wellington Paulista vai agregar muito ao nosso grupo. Deixo para o Marquinhos escolher (quem será titular), quem ele optar tenho certeza que vai procurar fazer o melhor para o Coritiba”, disse.
Em três jogos no Paranaense, Rafhael balançou as redes quatro vezes, deu uma assistência e é o novo xodó do torcedor. Porém, o jogador, de apenas 22 anos, mantém os pés no chão e não se deslumbra com o sucesso repentino.

“A cada dia tenho de fazer mais, buscando meus objetivos. Para eu chegar lá falta muito ainda”, declarou, lembrando também dos momentos de superação que enfrentou depois de uma grave lesão no joelho, logo no começo de 2013, quando se machucou na sua estreia.

“Fiz uma boa pré-temporada em 2013 e quando machuca no primeiro jogo o atleta sente. O Coritiba me deu suporte, ano passado não voltei 100% e isso me deixou muito abalado. Procurei ajuda para me reerguer, estou tendo oportunidade e fazendo meu papel”, completou o jogador, que marcou gols em todos os jogos até aqui na temporada, inclusive nos jogos-treinos da pré-temporada.