Criciúma – O Coritiba vem com uma cara diferente no jogo desta noite – às 19h30, no Heriberto Hulse – frente ao Criciúma. Em situação delicada na tabela, o técnico Celso Roth faz cinco alterações em relação à equipe que perdeu o Atletiba, domingo. Ainda sem sentir o sabor da vitória neste Brasileiro, o Verdão tenta impedir um vexame ainda maior: passar toda a Copa do Mundo na zona do rebaixamento. Sob pressão, os atletas sabem que qualquer deslize pode resultar em mudanças drásticas até na formatação do grupo.

O pior início de Brasileirão da era dos pontos corridos fez com que a comissão técnica buscasse novas alternativas dentro do grupo. Além das mudanças forçadas, por conta das ausências de Carlinhos (suspenso), Leandro Almeida (lesionado) e Alex (poupado), Roth mexe em outras duas posições. Reginaldo ganha a primeira oportunidade como titular da lateral-direita e Zé Love retorna ao comando do ataque. Além da troca de peças, o Coxa também volta ‘às origens’ e o esquema 3-5-2, utilizado no clássico, foi arquivado.

O retrospecto do confronto é marcado pelo equilíbrio, com dez vitórias do time paranaense, sete empates e nove vitórias dos catarinenses. Os números até poderiam indicar o empate como o resultado mais provável. Porém, diante do desempenho momentâneo do Coritiba, sequer um empate seria bem digerido. “Temos que jogar com inteligência. Saber administrar esse momento de pressão para superar essa dificuldade”, comentou o zagueiro Welinton, que está mantido no time.

Roth também busca reequilibrar o meio-campo. Na teoria, a tendência é um Coritiba mais incisivo, com as entradas de Jajá e Dudu, que formam com Roni um trio de criação. Na movimentação de ontem, na cidade de Nova Veneza (região metropolitana de Criciúma), Celso Roth cobrou incessantemente uma marcação pressão no adversário, com a saída rápida dos três meias para a aproximação a Zé Love.

Um novo tropeço faria com que a equipe igualasse a marca de oito jogos seguidos sem vitória, como em 2005, quando foi rebaixada.