Mais de 20 anos depois, o técnico Paulo César Carpegiani está de volta ao Coritiba e marcará a sua terceira passagem pelo clube. Aos 67 anos, o gaúcho de Erechim terá a missão de livrar o Verdão do risco de rebaixamento na disputa do Campeonato Brasileiro. O treinador, que trabalhou pela última vez na Ponte Preta em 2013, foi apresentado oficialmente na tarde desta sexta-feira (05), no CT da Graciosa e encontrou o Coxa na vice-lanterna da competição nacional, precisando reagir imediatamente para, ao final da temporada, evitar novos sofrimentos para fugir da degola. Nada, porém, que incomode o novo comandante da equipe.

“O desafio é coisa normal no futebol. Houve alguma infelicidade nos últimos jogos, quando poderia ter vencido e estar em uma situação bastante cômoda e tranquila. Mas são coisas que ocorrem no futebol. Gosto de trabalhar onde me sinto bem, por isso aceitei o convite do Coritiba. É uma grande satisfação voltar a Curitiba”, apontou o novo treinador, que declarou que no ano passado já havia sido procurado pelo clube.

Carpegiani vai substituir Pachequinho no comando alviverde depois de um período de testes do profissional à frente do time coxa-branca. Com altos e baixos, o ex-jogador não conseguiu tirar o Coritiba das últimas colocações e voltará a ser auxiliar a partir de agora. O novo treinador já estreia diante da Ponte Preta, domingo (7), às 16h, no Couto Pereira, quando comandará a equipe ao lado do próprio Pachequinho.

Novo técnico elogiou a competência de Pachequinho, que volta a ser auxiliar. Foto: Lineu Filho
Novo técnico elogiou a competência de Pachequinho, que volta a ser auxiliar da equipe e ajudará Carpegiani. Foto: Lineu Filho
Paulo César Carpegiani foi apresentado pelo presidente Rogério Bacellar, ao lado de Pachequinho. Foto: Lineu Filho
Paulo César Carpegiani foi apresentado pelo presidente Rogério Bacellar, ao lado de Pachequinho. Foto: Lineu Filho

“Vou estar junto com o Pachequinho no domingo. Vamos fazer o trabalho e vamos modificar poucas coisas que acho necessário. Conversei com ele e o consenso prevaleceu. Faremos uma ou outra modificação, já que temos algumas dificuldades. Teremos um time forte para enfrentar uma das equipes mais certas e organizadas da competição. Vai ser um jogo onde temos a obrigação de buscar o resultado. Procuro montar equipes seguras, mas que sejam agressivas”, avisou o treinador.

Quem pode ficar a voltar à disposição no Coxa é o meia Juan. O jogador, depois da suspensão por indisciplina por dez dias sofrida recentemente, voltou a treinar e reencontra também Paulo Cesar Carpegiani, que foi seu treinador no São Paulo. Ele, inclusive, falou sobre a situação do camisa 55 e a sua punição.

“São aquelas coisas que o jogador sai de cabeça quente e extrapola em algumas situações. Ocorreu isso e o Juan é o tipo de jogador que tem o sangue quente. São coisas que ocorrem por conta do temperamento do jogador, mas não pode ocorrer. O jogador tem que se controlar, tem que ter disciplina e por isso foi tomada essa atitude”, frisou.

Carpegiani foi apresentado oficialmente como treinador do Verdão ao lado do presidente do clube, Rogério Portugal Bacellar e de Pachequinho, que é funcionário e faz parte da comissão técnica permanente do Coxa. “Estou feliz pela vinda do professor, mas triste pelos resultados. Juntos, todos vamos fazer um Coritiba muito forte.  Se depender do Pachequinho e dos demais integrantes da comissão técnica, vamos nos doar ao máximo para conseguir o sucesso. Vou estar sempre à disposição. Ele foi meu mestre, ele me lançou (como jogador) e tenho um carinho muito grande”, concluiu o auxiliar.