O técnico Paulo César Carpegiani chamou para si a responsabilidade pela eliminação do time na Copa do Brasil. O Coxa perdeu a chance de seguir adiante na competição após ser eliminado pelo ASA, por 2×0, na última quinta-feira (23), em pleno Couto Pereira.

“Isso será uma cicatriz que ficará aberta, um dia muito ruim na história do Coritiba. Tudo que aconteceu é minha responsabilidade e assumo isso. Vamos seguir, temos que lamber nossa ferida e tentar reconquistar o torcedor com vitórias”, disse o treinador.

O treinador lembrou, entretanto, que a equipe entrou em campo improvisada, já que Alan Santos, João Paulo e Matheus Galdezani, contundidos, e Daniel e Anderson, contratados recentemente, não entraram em campo.

“Todos os jogadores que temos de melhor estão fora. Poderiam ter feito a diferença se estivessem em campo. A equipe foi improvisada no meio e, infelizmente, é aquilo que nós tínhamos”, lamentou. Carpegiani, inclusive, mostrou irritação quando questionado sobre a formação da meia-cancha coxa-branca. “Poderia escalar outros? Quem?”, se questionou o técnico, visivelmente irritado. “Estamos buscando aquilo que seria o ideal. Quando não tem a manutenção de equipe, tem quem?”, continuou.

Agora, resta ao Coxa neste início de temporada a disputa do Campeonato Paranaense. E o próximo compromisso não é nada menos do que o Atletiba, na quarta-feira (1), na Arena. Para a partida, ao menos, o comandante poderá contrar com os meias Daniel e Anderson, que já treinam integrados ao elenco.

“Temos o clássico para tentar reverter a situação. Precisamos remontar nossas forças para este jogo”, definiu. Com a derrota precoce na Copa do Brasil, o Coxa disputa apenas o Paranaense e o Brasileiro na sequência da temporada.

Apesar da eliminação, o Coritiba manterá a programação de carnaval e voltará aos treinos na segunda-feira. “Não vamos mudar nada. A vida segue”, concluiu.