Só a torcida do Atlético vai acompanhar o clássico Atletiba neste domingo no estádio Willie Davids, em Maringá. A regra deve ser aplicada no jogo da volta, no segundo turno, no Couto Pereira por uma questão de isonomia. A proposta partiu do presidente do Atlético, Mário Celso Petraglia, no início da semana, através de um telefonema ao presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade. Os dois entraram em acordo e encaminharam a proposta à 6ª Promotoria de Justiça da comarca de Maringá, a qual deve se pronunciar oficialmente hoje, mas já adiantou que não deve se opor à proposta dos clubes.

O objetivo principal é evitar o confronto entre torcidas, não só na cidade, mas também na estrada de acesso à cidade. “Em relação a esse jogo sou favorável. Os fatos que envolvem, por ser fora de Curitiba e já haver uma promessa muito grande de violência em estrada, além de ter um único caminho e não ter outras opções para as torcidas não se encontrarem. Eu sou favorável”, disse Vilson Ribeiro de Andrade. O presidente do Coritiba ainda declarou que neste momento os clubes pensam mais na segurança dos torcedores do que na beleza de um clássico com duas torcidas. “Principalmente por que é fora. Em Curitiba seria outra situação, mas é em Maringá, né! Veja, quem vai se deslocar para Maringá são pessoas que têm intenção de brigar, lamentavelmente, e aí não tem time, não tem camisa. Essas pessoas, que vão com esse intuito, são pessoas que já partem com esse objetivo único de se agredir e a gente não pode permitir isso”, disse Vilson.

No jogo do Atlético contra a Chapecoense, que também aconteceu em Maringá, no último dia 18, a torcida organizada ‘Os Fanáticos’ teve problemas com alguns carros, que foram apedrejados. Diante dos problemas, a própria torcida já havia deliberado por não acompanhar o clássico no norte do estado. A principal torcida organizada do Coritiba, ‘Império Alviverde’, também já está preparada para acompanha o jogo da capital.

A partida acontece no interior do estado por causa da punição imposta ao Atlético pelas confusões que aconteceram na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2013, em Joinville. A punição foi de nove jogos, sendo cinco a uma distância mínima de 100 km de Curitiba e quatro mandos com portões fechados. Fora de casa o time rubro-negro já cumpriu três partidas, contra o Grêmio, em Florianópolis, Cruzeiro, em Brasília e Chapecoense, em Maringá. Esse não é o primeiro caso de torcida única em Atletibas. Em 2012, dois clássicos do Campeonato Paranaense foram realizados apenas com a torcida do time mandante por questões de segurança. A primeira partida aconteceu na Vila Capanema e a segunda no Couto Pereira.