O empate em 0x0 diante do Toledo, na tarde deste domingo (27), no Estádio Couto Pereira, comprovou a falta de poder de fogo do Coritiba neste começo de temporada. O time até conseguiu ter volume de jogo, controlou a partida, mas chegou pouco e quando criou as chances, acabou desperdiçando. O técnico Argel Fucks reconheceu o problema ofensivo da equipe e cobrou mais poder de decisão ao Verdão, sobretudo diante de equipes que vêm jogar mais fechadas nas partidas no Alto da Glória.

“Criamos pouco. Temos a humildade de reconhecer que não fizemos uma grande partida. É pouco criar quatro ou cinco oportunidades. Temos que trabalhar um pouco mais a parte ofensiva. Quando você cria as oportunidades, tem que ser cirúrgico”, avaliou. “Quando nós pegamos uma equipe fechada, precisamos fazer um gol rápido para furar esse bloqueio e expor a equipe, mas isso não aconteceu”, acrescentou o treinador.

+ Leia mais: Torcida do Coritiba já perdeu a paciência com o time

Diante do Toledo, o Coritiba atuou de forma um pouco diferente do que nas duas primeiras rodadas. A saída do meia-atacante Kady para a entrada do meia Giovanni deu mais domínio ao time no meio de campo, mas a equipe ficou mais frágil no ataque. Assim, o técnico Argel Fucks precisou mudar e colocou, na etapa final, o meia Luiz Henrique e os atacantes Igor Jesus e Igor Paixão na partida.

No entanto, dos três, apenas o atacante Igor Jesus conseguiu dar uma resposta positiva. Nathan, também formado na base, foi alvo de críticas e vaias do torcedor alviverde. “Precisamos dar mais moral para esses jogadores que estão aqui. Eles são jovens, mas serão eles que farão o ano do Coritiba em 2019. A equipe vai oscilar, é normal, faz parte do processo de amadurecimento do grupo. Mas o torcedor precisa ter calma”, emendou o treinador.

+ Confira os jogos e a classificação do Campeonato Paranaense

Com a visível falta de boas opções para o setor ofensivo, o Coritiba ainda busca mais duas peças para o ataque. A diretoria segue em busca de um camisa 9 e de um atacante de lado. O centroavante que está em negociação é o atacante Rodrigão. Mas uma dívida entre Coxa e Santos pelo empréstimo do zagueiro Cléber Reis, em 2017, está dificultando a negociação. Há a expectativa de que o caso seja resolvido nesta semana. Se não houver um acordo, o clube já trabalha com um plano B.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!