16º lugar, com apenas duas vitórias, 29,6% de aproveitamento e vindo de uma derrota para o então lanterna da competição. Esta é a campanha do Coritiba neste Campeonato Brasileiro. Assim como nos últimos dois anos, o Coxa começa mal no Brasileirão e se vê em torno de mais uma vez brigar para não cair. Embora o próprio atacante Kléber tenha admitido na saída do campo do Independência que existe essa preocupação, internamente o Alviverde ainda acredita que pode ter um ano mais tranquilo.

O próprio Kléber, na semana passada, havia ressaltado que pelo elenco que tem, o Coritiba precisa pensar alto. E, apesar dos erros repetidos no sábado, o pensamento é dividido pelo grupo. “Pesa um pouco mais (a derrota). A gente não está nem pensando em brigar lá embaixo na tabela. Era um jogo contra um adversário que não está bem e era uma vitória que não poderíamos deixar escapar. Temos que pontuar fora, mas uma hora as coisas vão se encaixar e vamos engrenar”, afirmou o goleiro Wilson.

O técnico Pachequinho destacou que o Coritiba foi a Belo Horizonte pensando na vitória para subir na classificação e que os erros não podem mudar o foco do clube. “Temos que pensar grande, em pontuar. Viemos com o pensamento de buscar os três pontos aqui. O jogo poderia ter sido muito mais fácil para nós, mas por erros coletivos, fomos punidos. Mas não mudo o discurso. Temos que recuperar este resultado contra o Inter. Vamos conversar para que não aconteçam estas situações de nós mesmos permitirmos os ataques do adversário”, apontou o treinador.

Pachequinho ainda destacou que o mais importante foi que a equipe lutou até o fim e que é preciso manter esta vontade para a sequência do Brasileirão. “Estamos muito cientes que temos que continuar o trabalho focado, resgatar os atletas para voltar com as vitórias. Claro que lamentamos quando perdemos, ficamos tristes. É um lance, um detalhe que atrapalha o rendimento da equipe. Mas em nenhum momento nosso time não teve vontade, não buscou o gol”, completou ele.