A diretoria e os jogadores do Coritiba garantem que o time vai jogar com força máxima contra o Náutico para vencer mais uma e buscar a melhor colocação possível no Brasileirão. Mas o que os torcedores estão achando disso tudo? Por enquanto, a galera está dividida, mas o desejo de vitória parece ser a tendência no momento.

Isso porque o tema é polêmico e envolve a rivalidade contra o Atlético, que pode ser beneficiado com uma vitória do Alviverde. E não apenas contra os pernambucanos, já que o Coxa ainda tem o Vasco, outro na briga contra a ZR, pela frente no Alto da Glória.

Em enquete realizada pelo site coxanautas.com.br, 49,5% querem que o time honre a camisa, mas 39,8% preferem ajudar a “enterrar” o Rubro-Negro. Outros 9,1% já largaram o time de lado após as chances de Libertadores serem apenas matemáticas e 1,6% acham que um empate está de bom tamanho.

Mas entre os que torcem pela vitória também há polêmica. “Entregar não, mas entrar com os juniores para eles pegarem ritmo de jogo para a Copa São Paulo”, prega o sócio David Meira. Para ele, é a hora de ver alguns jogadores que podem ficar para o ano que vem.

Meira até dá uma mão para Dorival Júnior na escalação e aposta em Antônio Carlos; Evaldo, Lucas e Leandro; Alex Silva, Veiga, Bernardi, João Henrique e Douglas (lateral sub-17); Thiago Silvy e Roger. “Deveríamos entrar com os juniores e poupar os titulares”, justifica.

No entanto, há outras correntes que preferem nem dar bola para o que está acontecendo com o Furacão. “O Atlético vai cair por si só, pelas próprias pernas”, analisa Nina Neves, torcedora e filha de Evangelino Neves, o eterno presidente coxa. Para ela, um clube como o Coritiba não pode entregar não. “É feio isso. O time tem mais é que ganhar para ficar numa posição melhor”, avalia.

No entanto, ao saber do posicionamento do Rubro-Negro, ela pensa um pouco diferente. “Poderia ser um empate, então”, diz. E também é assim que muitos torcedores estão pensando.

Nos fóruns na internet, onde circula a opinião mais jocosa e descontraída, quase todos preferem ver o rival na Segundona e revidar o sofrimento e as gozações sofridas na queda em 2005 e nos dois anos que o Coritiba penou na Série B.

“Já estamos na Sul-Americana, terminar em 5.º ou 13.º para mim vai ser a mesma coisa, sendo assim, não me chatearia se o Coritiba perdesse para Náutico e Vasco”, aponta o torcedor Jéferson Ferreira.