Foi por pouco. Uma bola na trave de Marcos Aurélio no último lance de perigo poderia valer a vitória do Coritiba sobre o São Paulo ontem à noite em pleno Morumbi. Seria merecido para o Alviverde, mas os jogadores saíram satisfeitos de campo com o 2 a 2 conquistado diante do vice-líder do Brasileirão.

Com o resultado, o Coxa permanece na 15.ª colocação, mas mantém os confortáveis cinco pontos de distância para a zona de rebaixamento. No sábado, o desafio será o Barueri em casa, na partida que inicia as comemorações pelos cem anos.

Empolgado com a vitória sobre o Internacional e a folga na classificação, o Coritiba encarou o São Paulo sem a necessidade de segurar o resultado. O time, na verdade, queria aproveitar a maior responsabilidade do adversário, que jogava em casa e precisava partir para cima.

E partir para cima daria os espaços que Ney Franco projetou para explorar os contra-ataques e forçar a velocidade com Carlinhos Paraíba, Marcelinho Paraíba e Renatinho. O trio de canhotos estava programado para ser a arma letal, mas isso demorou a acontecer porque foi o Tricolor que esperou a falha.

E ela veio numa bobeira de Leandro Donizete. Ele atrasou mal e Hernanes aproveitou para abrir o marcador passando por Jailton e fuzilando. Com Ariel apagado em campo e muitos passes errados, a alternativa foi arriscar de longe e foi assim que o empate veio.

Carlinhos mandou um petardo, Rogério Ceni não segurou e Renatinho aproveitou o rebote para igualar o marcador. O São Paulo sentiu. O Alviverde passou a dominar, mas também sem perigo. Sem perigo até Marcelinho Paraíba cobrar um escanteio pela direita. A bola fez uma curva venenosa e enganou até o experiente Rogério Ceni. Gol olímpico.

“Sempre coloco esse efeito e dessa vez deu certo”, comemorou o craque coxa”. Mas ele e o time precisavam de atenção. O São Paulo voltou com tudo do intervalo, Ricardo Gomes trocou André Dias por Oscar e arriscou tudo.

A pressão era grande, Rogério Ceni cobrou falta rente ao travessão e tirou o uh! da galera, mas foi Washington que saiu do banco para deixar o marcador igual. Ele aproveitou rebote de Edson Bastos e só teve trabalho de tocar para o fundo da rede. O empate por 2 a 2 mostrava que os dois treinadores queriam a vitória e Ney também empurrou o time para cima com Marcos Aurélio e Thiago Gentil.

O Coxa passou a dominar e foi arriscando e teve a melhor chance. Marcos Aurélio aproveitou uma deixadinha de Bruno Fressato e mandou na trave. Rogério Ceni tirou com os olhos e o placar ficou mesmo no empate.