O Coritiba anunciou ontem que estará atento a qualquer possível ajuda com dinheiro público ao Atlético, para a conclusão da Arena. O Alviverde considera descabida qualquer movimento em torno disso sem uma contrapartida aos outros clubes.

Na visão dos dirigentes do Coxa, se for para dar dinheiro a um clube é preciso manter a “isonomia” e dar tratamento igual aos outros ou construir um estádio para uso de todos.

“O Coritiba tem uma posição muito clara. Desde que o Estado queira favorecer o futebol, o que é positivo, ele tem que favorecer obedecendo princípios de isonomia. Qual é o princípio de isonomia? Para mim, é um estádio estadual ou municipal que atenda aos três clubes da capital e também os outros clubes do Paraná também”, disse Vilson Ribeiro de Andrade, vice-presidente do clube.

Para ele, qualquer centavo colocado na Arena da Baixada será ilegal. “No caso de investimento numa entidade particular será ilegal porque não há saída jurídica para isso e seria um descaso com os outros torcedores do Paraná em benefício de um único clube”, aponta.

Por isso, o dirigente revela que o Coxa resolveu se mexer. “É o pensamento de todos nós, da diretoria e de todos os segmentos do clube. Eu tive uma conversa com o presidente do Paraná (Aquilino Romani) também esses dias numa viagem ao Rio e a posição dele também é muito parecida com a nossa”, destacou.