A chuva foi uma dificuldade a
mais às duas equipes.

Valeu pela superação. A forte chuva comprometeu a qualidade técnica, mas o Coritiba fez a lição de casa e despachou o Prudentópolis (2×1), ontem à noite, no Couto Pereira. Luís Mário não marcou, mas foi o destaque coxa. Mesmo num gramado encharcado, o atacante fez a diferença num jogo decidido em lances de bola parada. Pior para o time do interior, que permanece isolado na “lanterna” do grupo A, ainda sem nenhum ponto ganho e sério candidato ao torneio da morte.

Meia hora antes do jogo, uma chuva intensa caiu sobre Curitiba e muitas poças se formaram. Mesmo assim, o gramado foi aprovado pelo trio de arbitragem e a bola “rolou”. Melhor adaptado, o Prudentópolis tirava proveito das bolas alçadas na área adversária para dar trabalho ao goleiro Fernando. Com um time bastante alterado e tendo a estréia de Washington, emprestado pelo Paraná, a jogada aérea era a arma do time de Nedo Xavier. Aos 10 minutos, após falta cobrada por Dudu, houve uma grande confusão, mas a zaga conseguiu cortar.

A história começou a mudar aos 19 minutos. Luís Mário deu um toque de calcanhar para Jucemar e o lateral foi derrubado pelo zagueiro Róbson, dentro da área. Pênalti, que Roberto Brum converteu com precisão, no canto direito de Nei. Um minuto depois, o mesmo zagueiro “apelou” e derrubou Luís Mário, mais uma vez na área. Só que desta vez o goleiro levou a melhor. Brum cobrou no mesmo canto e Nei defendeu com relativa facilidade.

A penalidade máxima desperdiçada, porém, não abateu o Coritiba. Jucemar, que fez sua estréia, mostrou força e qualidade nos chutes de fora da área. Quase ampliou aos 30 minutos, mas a bola encobriu o travessão. Pouco depois, o árbitro Sandro César da Rocha errou feio ao não marcar novo pênalti sobre Luís Mário. O atacante coxa parece estar “marcado” pela arbitragem, pois no início do jogo, ao se “enroscar” com seu marcador, recebeu cartão amarelo por supostamente ter “cavado” a penalidade. Foi o 3.º cartão do jogador, que está fora do Atletiba.

A garoa persistiu, mas sem poças, o jogo melhorou no segundo tempo. Logo no primeiro minuto, Aírton quase surpreendeu Fernando, desviando a bola com um toque sutil. A resposta veio num lance individual de Luís Mário, que recebeu na área, girou e bateu por cima do travessão. A tranqüilidade só veio aos 14 minutos, em cobrança de falta. Éder soltou a “bomba” e a bola ainda tocou no chão e tirou qualquer chance de defesa para Nei: 2×0.

Nedo Xavier tentou mudar a sorte do jogo trocando o lateral Kiko pelo atacante Marcos Gaúcho. No seu primeiro lance, o experiente atacante (que já passou pelo Cori) subiu mais que seus marcadores e cabeceou para a ótima intervenção de Fernando. Antônio Lopes mexeu no time, mandando a campo Pepo, Ricardo e Nivaldo, mas foi o Prudentópolis quem chegou. E de bola parada. Zé Maria cobrou a falta, aos 43 minutos, e Pepo desviou para as redes, marcando contra e dando números finais ao jogo.

CAMPEONATO PARANAENSE

1.ª FASE – 3.ª RODADA
CORITIBA 2×1 PRUDENTÓPOLIS

CORITIBA: Fernando; Jucemar (Pepo), Danilo, Reginaldo Nascimento e Lira; Ataliba (Nivaldo), Roberto Brum, Capixaba e Éder (Ricardo); Bruno e Luís Mário. Técnico: Antônio Lopes.

PRUDENTÓPOLIS:

Nei; Boré, Róbson, Márcio Santos e Kiko (Marcos Gaúcho); Peu, Maranhão, Aírton e Zé Maria; Washington e Dudu (Biro). Técnico: Nedo Xavier.

SÚMULA
Local

: Couto Pereira (Curitiba).
Árbitro: Sandro César da Rocha.
Assistentes: José Amilton Pontarolo e Rubens Berton.
Renda: R$ 16.957,50.
Público: 1.476 pagantes (2.896).
Gols: Roberto Brum (pênalti) a 19? do 1.º tempo. Éder a 14? e Pepo (contra) a 43? do 2.º tempo.
Cartões amarelos: Luís Mário (Cori). Róbson, Nei e Aírton (Prud).