enkontra.com
Fechar busca

De Letra

Coritiba tenta reverter vantagem do Ituano

  • Por Cristian Toledo
Reginado Nascimento joga com
a responsabilidade de capitão
e o mais experiênte da equipe.

Acompanhe este jogo on-line

Partir para cima, mas sem desespero. Correr, mas sem pressa. Jogar com o tempo, mas sem olhar toda hora para o relógio. Estas frases servem para resumir a forma que o Coritiba pretende jogar esta noite contra o Ituano, às 20h30, no Alto da Glória.

Apesar da necessidade de marcar gols, todos sabem que atitudes desesperadas podem complicar ainda mais a situação. A intenção é marcar gols, mas sempre com uma postura que evite o ataque adversário. E, para isso, Paulo Bonamigo ganha um reforço.

Aproveitando uma brecha no regulamento da Copa do Brasil somada à ?rapidez? da CBF, o Coritiba teve o lateral Leandro enfim liberado para jogar. “Estou feliz, porque vou estrear em uma partida muito importante”, afirma o jogador. Para oficializar a presença de Leandro contra o Ituano, resta apenas que a CBF envie (por fax) a liberação, o que deve acontecer na manhã de hoje.

Com ele, Bonamigo ganha uma opção ofensiva pela esquerda, já que Ricardo se mostrou um pouco contido contra o Londrina. Havia também Almir, mas a entrada dele foi totalmente descartada -o meio-campista sequer foi relacionado para a concentração, que começou na noite de segunda.

Mesmo assim, o técnico tem seu ás na manga. Ele chamou (depois de algumas partidas sem ir para o banco de reservas) Fernando Mello para o grupo de concentrados, e não será surpresa se o atacante aparecer durante a partida justamente pela ala-esquerda. Apesar de Mello não ter jogado bem nessa função contra o Cascavel, a obrigação da vitória – e do resultado – pode fazer Bonamigo apostar em uma formação ultraofensiva.

Mas isso só aconteceria durante a partida. No início, o Cori não muda sua característica de forte marcação e saídas em velocidade. “A única coisa um pouco diferente é que teremos que jogar sempre em cima deles”, afirma Tcheco. “Mas não podemos sair que nem loucos, porque sabemos que o Ituano tem um meio-campo de qualidade e um contra-ataque rápido. Temos que nos cuidar”, completa o meio-campista.

Dessa forma, o Cori praticamente será o mesmo de sempre, a começar pela escalação. O técnico Paulo Bonamigo mantém quase toda a formação utilizada contra o Londrina. Isso já não acontecerá contra o Paranavaí no sábado, quando Fabrício, Reginaldo Nascimento e Edu Sales vão desfalcar a equipe.

Desafio

Para conseguir a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil (enfrentando Goiás ou Ipatinga), o Cori precisa mais do que vencer. Tendo perdido por 2×0 o jogo de Itu, a vitória pelo mesmo placar leva a partida para a decisão por pênaltis. Qualquer outro resultado com dois gols de diferença (3×1 ou 4×2, por exemplo) classifica o Ituano. Resta ao Coritiba aplicar três gols de vantagem para seguir na competição.

Rival

O técnico Ruy Scarpino não definiu o Ituano para a partida contra o Coritiba. Ele terá a disposição todos os seus jogadores, inclusive o meia Jackson, aquele mesmo que já passou por Sport, Internacional e Palmeiras. O armador jogou poucas partidas na temporada porque cumpria uma pesada suspensão da CBF.

Termômetro da final

O destino de uma vida pode ser mudado por causa de um passo. Uma atitude tomada hoje pode refletir lá na frente, alterando inexoravelmente a história. E é por isso que no Coritiba se sabe que qualquer resultado na partida desta noite (20h30) contra o Ituano, no Couto Pereira, pela Copa do Brasil, vai rebater no ânimo do grupo para a primeira partida da final do campeonato paranaense, contra o Paranavaí. E se é para criar esse ?efeito dominó?, que ele aconteça para o lado bom.

E isso significa uma vitória, antes de tudo. Com apenas uma derrota em 2003 (justamente para o Ituano, no jogo de ida), o Cori sentiu claramente o baque de ter perdido aquela partida. Mas depois a equipe se recuperou, não perdeu mais (uma vitória e três empates), chegando à decisão do paranaense como favorito. Para embalar ainda mais, o ideal é vencer. “Nossa obrigação nessa partida é conquistar a vitória”, comenta o técnico Paulo Bonamigo.

Mas para conseguir a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil (enfrentando Goiás ou Ipatinga), o Cori precisa mais do que vencer. Tendo perdido por 2×0 o jogo de Itu, a vitória pelo mesmo placar leva a partida para a decisão por pênaltis. Qualquer outro resultado com dois gols de diferença (3×1 ou 4×2, por exemplo) classifica o Ituano. Resta ao Coritiba aplicar três gols de vantagem para seguir na competição.

Não é tarefa fácil. E até por isso Bonamigo trabalha o elenco para transformar a partida em uma conquista de objetivos – primeiro, vem a vitória, depois abrir o caminho para uma disputa nos pênaltis e finalmente (desejo maior) fazer a vantagem para decidir a série nos noventa minutos. “Será uma partida de muita paciência, porque vamos iniciar com uma grande desvantagem e precisaremos recuperá-la aos poucos”, explica o treinador.

Isso para que não haja desespero antecipado ou exigência em demasia, principalmente no momento em que o Coritiba parte para seus dez dias mais importantes dos últimos tempos. “Só quem está aqui tem consciência desse momento que vive o Coritiba”, comenta o volante Roberto Brum, um dos poucos do atual elenco que já teve a experiência de decisões – no caso dele, no Fluminense.

A dita “falta de experiência” vem sendo evocada como um possível fator de desequilíbrio da equipe nos últimos jogos. De fato: do time titular, apenas Reginaldo Nascimento estava no time campeão paranaense de 99, e além dele Brum, Tcheco e Fabrício já conquistaram títulos como titulares. Mas isso não preocupa Bonamigo e nem os próprios jogadores. “Quem está aqui já amadureceu com uma série de situações acontecidas nos últimos anos”, acredita Nascimento, capitão do time na ausência de Edinho Baiano.

Quem sabe a hora de ganhar mais experiência ainda seja nesta noite, avançando na Copa do Brasil e arrancando para as partidas contra o Paranavaí. “A gente tem que estar preparado para tudo, até para lidar com essas desvantagens. O mínimo que vamos fazer é lutar muito para conseguir essa vitória”, resume Tcheco.

Apoio

Bonamigo faz o pedido. “Assim como no sábado, a presença da nossa torcida será fundamental contra o Ituano. A força das arquibancadas vai ser o nosso diferencial”, diz o técnico. Os ingressos para Coritiba x Ituano têm os seguintes preços: arquibancada, R$ 10,00; cadeira inferior, R$ 30,00; cadeira superior, R$ 50,00; mulheres, estudantes e maiores de 65 anos, R$ 5,00. Menores de 12 anos terão acesso livre.

Coxa completa 1.500 jogos no Couto

É bom fazer história. O Coritiba completa hoje uma marca impressionante. A partida contra o Ituano é a de número 1.500 – isso mesmo, mil e quinhentos – no Estádio Couto Pereira. Desde 1932 (quando se chamava Belfort Duarte) até agora, foram muitas histórias, muitas conquistas e vários jogos decisivos. Como o desta noite, contra o Ituano.

A primeira partida aconteceu em 22 de novembro de 32, quando o Cori venceu o América carioca por 4×2. De lá para cá foram 870 vitórias, 377 empates e 252 derrotas. Se somarmos os pontos como de costume, são 2.987 pontos, o que dá um aproveitamento de 66,42%. Além disso, somente o Coxa marcou 2.964 gols em sua casa, numa média de quase dois por partida.

As vitórias são memoráveis, como aquelas que deram títulos à equipe. Títulos sofridos como o de 78, conquistado depois de três jogos contra o Atlético e ainda uma disputa de pênaltis. Títulos incontestáveis como o de 89, com um 2×0 categórico sobre o União. E alguns que nem deram títulos, mas que foram fundamentais para a história coxa, como o 1×0 sobre o Atlético-MG, nas semifinais do brasileiro de 85.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas