Foto: Valquir Aureliano/Tribuna

Paulo Miranda afirma que a
vitória no Couto é quase obrigação.

Liderança à vista! Com dois jogos em casa na seqüência, ninguém mais no Coritiba esconde o que o time quer daqui a dois jogos na Série B. Mais do que isso, atuando no Couto Pereira, as vitórias passaram a ser ?quase obrigação?. Essa é a promessa dos jogadores alviverdes, que querem fazer dos confrontos contra América-RN, às 20h30 de amanhã, e Paysandu o trampolim para a ponta da competição. Para tanto, o Coxa precisa de algumas combinações de resultados, mas se fizer a lição de casa a probabilidade de chegar ao número 1 aumenta.

?Vitória aqui dentro é quase nossa obrigação. A equipe que quer permanecer nas primeiras colocações tem que vencer sempre e esse é o nosso pensamento?, aponta o volante Paulo Miranda. Isso não quer dizer que a partida contra os potiguares já esteja ganha. ?Esse jogo é importantíssimo, é muito difícil, mas dentro de casa, à noite, com frio, isso vem para o nosso lado, para a gente conseguir a vitória?, analisa.

A previsão é de cerca de 13ºC para o horário do jogo. Tolerável para quem está acostumado.

Com frio ou não, a conta de Paulo Miranda é simples.

A três pontos do Avaí, a um do Náutico e empatado com o Sport, apesar de perder no saldo de gols, o Coritiba pode descontar essa diferença para os adversários diretos na busca pela liderança. Enquanto o Alviverde joga duas em casa, assim como o Sport, os catarinenses atuam uma em casa e uma fora e o Náutico duas fora. ?A gente fazendo os seis pontos nesses dois jogos, vamos dar uma encostada boa neles?, endossa o atacante Ânderson Gomes.

Já o técnico Paulo Bonamigo voltou a conclamar a torcida para empurrar o time. ?Essa partida é importantíssima pela necessidade de mais uma vitória e é bom entrarmos com o 12.º jogador, que dá um apoio e a resposta dos atletas será a melhor possível?, destaca o treinador alviverde. Se os números favorecerem, o time tem tudo para se dar bem contra o América-RN.

Já são 20 jogos seguidos sem perder no Alto da Glória, sendo que os últimos com vitórias convincentes.

Índio treina e deve jogar

Para surpresa geral, o zagueiro Índio tirou o tênis, colocou chuteira e apareceu treinando no coletivo de ontem no Couto Pereira. Após ter sido vetado pelo departamento médico do Coritiba, ele se recuperou e trabalhou normalmente. Ele estava com tendinite no joelho esquerdo. Assim, ele, Caio e Jéfferson serão as novidades do Alviverde para o confronto de amanhã contra o América-RN, às 20h30, no Couto Pereira.

?Já vinha toda a semana nesse trabalho de recuperação, fui fazer um trote na segunda-feira e senti novamente um pouco de dor. Mas, conversando com os médicos, eles acharam melhor parar por mais dois dias e fazer nova avaliação?, disse o defensor. Ontem ele fez novo teste, as dores diminuíram e ele retomou o trabalho com bola. ?Continua um pouquinho de dor, mas isso é normal porque é uma tendinite e agora é continuar o tratamento amanhã (hoje) e sexta-feira até a hora do jogo?, apontou.

Com ele em campo, a dupla de zaga será completada por Douglão, que substitui Henrique, suspenso. Também suspenso, Cristian terá Caio em seu lugar. Já no ataque, Alberto perde a posição para Jéfferson, que marcou dois gols contra o Náutico e levou a melhor na preferência do técnico Paulo Bonamigo. À tarde, o elenco volta a trabalhar no CT da Graciosa e já concentra para a partida de amanhã.

Keirrison planeja voltar a jogar já em outubro

Torcedores do Coritiba, podem começar a contagem regressiva. O atacante Keirrison completou na terça cinco meses afastado dos campos por causa de uma grave lesão no joelho, mas nesta semana ele voltou aos treinos físicos, e a expectativa dele é voltar antes da previsão. Ele quer voltar a jogar em outubro, enquanto os médicos preferem ter mais cautela. Tanta empolgação do garoto (18 anos) em retornar tem uma explicação: a melhora no rendimento do Coxa, e o sonho cada vez mais real de voltar à primeira divisão.

Quando o time vivia a ?ressaca? do rebaixamento, com um distanciamento nítido entre jogadores, torcida e diretoria, Keirrison apareceu como destaque na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Logo que voltou do torneio, foi integrado ao elenco profissional, e pouco depois Márcio Araújo o escalava como titular. Fizera o caminho de revelação para ídolo em menos de uma semana. E o grande susto da carreira também veio cedo – uma contusão na partida contra o Paranavaí, ainda na primeira fase do Campeonato Paranaense.

O diagnóstico era rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho direito. Era necessária cirurgia. Oito meses de afastamento. ?Antes da operação, eu fiquei muito preocupado, não sabia o que podia acontecer. Estava triste, porque vivia um ótimo momento?, conta o atacante, que na hora da intervenção também sofreu. ?Estava com medo, mas a anestesia me fez dormir direto?, brinca.

Os primeiros meses de recuperação foram complicados. Keirrison não podia fazer nada. ?Tinha que ficar parado e esperar o tempo passar?. Uma visita o animou – Dagoberto, que sofrera lesão semelhante e que conhecia o jogador coxa dos encontros na sede da Massa Sports, que gerencia a carreira de ambos. ?Ele foi muito legal. Conversou comigo, disse que eu iria superar a barra e voltar a jogar. Espero que ele tenha muito sucesso, pois grande jogador ele já é?, elogia o jovem coxa.

Outra ajuda fundamental foi a do elenco alviverde. ?Eles foram maravilhosos comigo, sempre me apoiando desde o primeiro dia em que fui fazer fisioterapia?, comenta Keirrison, que aponta os veteranos Kléber, Índio e Marcelo Batatais como os principais incentivadores. ?Como eles conhecem muito essa vida de jogador, acabaram me passando experiências de momentos como o que eu estava passando?, conta. Agora, quem mais conversa com o jogador é o técnico Paulo Bonamigo. ?Ele fica falando para mim que está esperando, que conta comigo. Isto me dá mais força para me recuperar?, diz.

Liberado pelo médico Lúcio Ernlund, chefe do DM do Coritiba, Keirrison passou na terça aos cuidados do departamento de fisiologia do clube. ?É ótimo poder ir para o campo, correr e não sentir dores. O joelho está muito bem, agora preciso fazer o reforço muscular necessário para não sofrer com outras lesões?, aponta o atacante.

Ele espera voltar aos gramados logo, porque sente da torcida e de todos no clube que sua presença é importante. ?Minha previsão é outubro, mas quem decide são os médicos. Não vou voltar antes do tempo, porque quero retornar ajudando o Coritiba a lutar pela volta à primeira divisão, e depois pelo título. Isto seria muito importante para o clube e para todos nós?, finaliza Keirrison.