Domingos Moro e Fernando
Barrionuevo no tribunal.

Foi de goleada. Por sete votos a zero, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva absolveu o Coritiba da acusação de colocar o meio-campista Ataliba de forma irregular na partida do dia 22 de abril, contra o Guarani.

Para o STJD, o famigerado Boletim Informativo Diário (BID) perdeu o seu caráter punitivo. Com isso, o Cori volta a ter seis pontos, e passa a ser o 14.º colocado no Campeonato Brasileiro.

A decisão, proposta pelo presidente Luiz Zveiter, elimina qualquer possibilidade do Atlético perder pontos, pela mesma explicação. O julgamento, adiado para a próxima quarta, será apenas “para cumprir tabela”. Apesar de ter que apresentar defesa e ser acusado pela Procuradoria, é certo que o Rubro-Negro será absolvido.

Foi uma vitória do Coritiba e dos advogados Domingos Moro (também vice-presidente) e Fernando Barrionuevo. “Nós não criticamos o BID, mas mostramos que ele ainda não é um instrumento totalmente efetivo. Mostrando isso, sensibilizamos o STJD e conseguimos provar nossa posição”, disse um emocionado Moro, após o julgamento.

Cronologia

Desde o início do dia se elaboravam teses e se criavam expectativas. Perto do início previsto do julgamento (18h30), a tendência mais forte era que o STJD desqualificaria o BID e devolveria os pontos ao Coritiba. Outros chegavam a dizer que a possibilidade era da CBF anistiar todos os clubes acusados (Cori, Atlético e Santo André), ?zerando? os registros e começando tudo de novo.

A tensão aumentou quando o presidente Luiz Zveiter chegou à sede do tribunal. Ao invés de anunciar o porquê do adiamento do julgamento do Atlético, como ele mesmo dissera, ele se reuniu às pressas com os auditores e com o diretor de registros da CBF Luís Gustavo Vieira de Castro. A conversa durou mais de meia hora, e de lá os juizes partiram direto para a sessão.

E ele acabou propondo exatamente o que anunciaram que a CBF faria.

De bem

Apesar das rusgas depois da acusação feita pelo Coritiba, o presidente coxa Giovani Gionédis garantiu que não há problemas com o Atlético e com o presidente do Conselho Deliberativo rubro-negro Mário Celso Petraglia, que chegou a cobrar do vice Domingos Moro a citação de Diego no julgamento da semana passada.

Para Gionédis, o fato está superado. “Eu e o Mário somos amigos de antes do futebol. Então, não vai ser um problema desse que vai mudar nossa amizade. Conversamos hoje (ontem) e nem se falou disso. Nós vamos continuar tomando nosso vinho quando nos encontrarmos”, disse o presidente coxa.

Lopes já confirmou a escalação

O técnico Antônio Lopes não é muito fã de mistérios. Por isso, e também pela dificuldade em formar uma equipe, ele confirmou ontem o Coritiba que enfrenta domingo (16h) a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli. A principal preocupação dele é montar um sistema defensivo forte, para evitar os erros apresentados no primeiro tempo da partida de domingo passado contra o São Paulo.

Lopes, ao contrário do que sempre fez, não negou os erros do time. “Nós erramos no nosso sistema de marcação. Não foi um erro exclusivo da defesa, mas sim de todos os jogadores da equipe. Quando eu falo nisso, falo em falhas dos setores de meio-campo e de ataque também, porque dali começa a marcação”, comenta o treinador.

Para melhorar o tal ?sistema?, Antônio Lopes trabalhou muito a marcação no treino tático de ontem. “Acho que isso vai ser fundamental para uma boa partida em Campinas”, reconhece Igor, que terá função tática importante também na marcação. Ele e Luís Carlos Capixaba terão que voltar para ajudar na cobertura, e auxiliar os laterais. “Eu sinto que o Ricardo ainda tem dificuldades, porque ele sempre jogou como ala, e o lateral tem mais responsabilidades na defesa”, afirma o técnico alviverde.

Na frente, a nova dupla terá Josafá e André Nunes. A opção pelo atacante carioca veio pela maior experiência. “Ele já jogou campeonato brasileiro, tem uma rodagem em clubes do Rio, e está em seu melhor momento no Coritiba. Eu confio muito no Josafá”, garante Lopes. O Coritiba está escalado com Fernando; Jucemar, Danilo, Reginaldo Nascimento e Ricardo; Ataliba, Márcio Egídio, Luís Carlos Capixaba e Igor; Josafá e André Nunes.

Roberto Brum: afastado do elenco

Há um jogador no elenco do Coritiba que, na verdade, não está no elenco do Coritiba. Até dois meses atrás, Roberto Brum era um dos líderes do grupo, titular absoluto e ídolo da torcida. Depois de brigar com o técnico Antônio Lopes, ele ficou relegado ao ostracismo, tanto que alguns chegam a pensar que ele nem está mais no Alto da Glória.

Mas ele está no clube, sim. Só que afastado completamente dos treinos do time principal. No máximo, ele participa de prosaicas corridas com os jogadores que estão no departamento médico. Anteontem, o “Senador” estava ao lado de Luís Mário, Adriano e Rodrigo Batatinha, que fazem trabalhos em separado. Por sinal, esta é a palavra que resume o atual estágio de Brum: separado.

Às vezes, acontece de o volante chegar mais tarde ao CT da Graciosa para não criar constrangimentos. Dessa forma, Roberto Brum vai se afastando ainda mais dos companheiros, já que acaba pouco interagindo com eles. A contrapartida é o carinho dos jogadores das categorias fundamentais, que fazem o papel de tietes.

As tentativas feitas para fazer as pazes entre o volante e Lopes deram n?água. O treinador até admite reintegrá-lo, desde que ele peça desculpas ao elenco. Pelo que se vê, Brum não está disposto a se desculpar. No jantar comemorativo ao bicampeonato, tentou-se criar uma situação, mas não houve jeito. “Eu não quero que o que eu falo passe como um pedido de desculpas, porque todos nós erramos. Eu erro, o Lopes também erra”, afirmou.

Para evitar mais polêmicas, Roberto Brum preferiu não mais falar. Procurado pelos jornalistas para passar o seu lado na história, o volante (através da assessoria de imprensa) afirmou que prefere deixar a tormenta passar, e prometeu conversar na próxima semana. Resta saber se, enfim, a novela vai terminar.