O ?Maluco Beleza? Enílton, ex-jogador do alviverde,
infernizou a zaga coxa
e deixou sua marca ontem.

A galera, empolgada, ajudou. Mas o bom futebol do Coritiba durou apenas 45 minutos. Diante de quase 20 mil torcedores, o time de Cuca dominou o primeiro tempo e perdeu um pênalti. Foi engolido na segunda etapa e caiu diante do Juventude por 2 a 1, ontem, no Couto Pereira. Foi a segunda derrota em casa do Coxa, que caiu para a nona colocação.

Antes do jogo, um fato inusitado – o Juventude entrou com camisa predominantemente branca, semelhante à do Coxa. Como não tinha uniforme diferente, e o Coritiba não quis mudar a camisa, a equipe gaúcha usou um colete de treinamento numerado, na cor azul-escura.

A nova vestimenta pareceu confundir o Juventude. Marcando firme, o Coxa mandou no primeiro tempo, usando bom repertório de jogadas. Eram chutes de longa distância, tabelas pelo meio e lances pelos lados – principalmente a direita, onde Jucemar e Alexandre infernizaram a zaga gaúcha.

O lance que poderia mudar o panorama da partida ocorreu aos 20?. Depois de jogada ensaiada, Alexandre foi derrubado por Doni. O zagueiro Miranda deslocou o goleiro na cobrança de pênalti, mas a bola foi para fora.

O Coxa não desanimou e seguiu fustigando o adversário, obrigando Doni a trabalhar. O Juventude só assustou duas vezes, em lances de bola parada.

No intervalo, Cuca trocou Jackson por Rubens Júnior, deslocando Ricardinho para o meio. Mas a formação treinada na semana durou só até os sete minutos, quando Rubens Júnior sofreu lesão muscular na coxa e foi substituído por Alcimar. Dois minutos depois, novo golpe, bem mais duro: William foi lançado, limpou o lance e bateu colocado, marcando um belo gol. O assistente assinalou impedimento de Enílton, mas o árbitro Paulo César de Oliveira, corretamente, validou o gol, já que o atacante não participou da jogada.

O gol abalou o time da casa. Mesmo com o incentivo da torcida, o ânimo alviverde esfriou e os erros começaram a aparecer. Os passes eram o principal defeito do time, que não conseguia impor o mesmo ritmo da primeira etapa – também em virtude no novo posicionamento do Juventude, que trocou um atacante por um meia e melhorou a marcação.

Aos 20?, Cuca arriscou de vez – tirou o meia Souza e pôs um terceiro atacante, Marciano. Mas o meio-campo não funcionava, e a bola pouco chegou ao ataque. Bem armado e contando com a jornada inspirada de William (ex-Atlético), o Juventude sempre incomodava nos contragolpes. E marcou o segundo aos 36?, com Enílton, completando uma rápida cobrança de falta que pegou a zaga coxa desprevenida.

Mesmo desorganizado, o Coxa não desistiu e ainda descontou com um chute de Alexandre. Mas já eram 42? e não houve como evitar a decepção da torcida.

Marítimo quer Cuca no comando

De nada adianta dominar o jogo se a bola não entra. Na análise do técnico Cuca, o Coritiba poderia ter matado a partida contra o Juventude no primeiro tempo. Não o fez e pagou o preço, sentindo o baque depois de sair perdendo.

?Dominamos amplamente o primeiro tempo e criamos muitas jogadas, mas perdemos gols e o pênalti. Depois, tomamos o gol e nos desestabilizamos, o que é normal para uma equipe jovem?, lamentou o treinador, reconhecendo que o Juventude ?amarrou? o Coxa no segundo tempo.

O pênalti perdido fez Miranda assumir parte da culpa. ?Treino bastante e estava tranqüilo. Mas errei e assumo minha parcela de responsabilidade pela derrota?, disse o zagueiro. Na sétima rodada, em 12 de junho, o Coxa enfrenta o Vasco, no Rio.

Cuca

O Coritiba ainda não foi comunicado oficialmente, mas o Marítimo, da 1.ª Divisão de Portugal, vai investir pesado para contratar o técnico Cuca. O presidente Giovani Gionédis disse que não sabia da notícia veiculada na imprensa portuguesa, mas deixou o técnico à vontade. ?O Cuca faz o que é melhor para ele. Se quiser sair, é só pagar a multa rescisória?, falou Gionédis. O técnico assinou contrato com o Coxa até o final de 2006.

Campeonato Brasileiro
Gols: William (9-2º), Enílton (36-2º) e Alexandre (42-2º)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (FIFA-SP)
Assistentes: Válter José dos Reis (FIFA-SP) e Geraldo José Vollet Pinheiro (SP)
Cartões amarelos: Reginaldo Nascimento e Ricardinho (C), Naldo e Magal (J)
Público: 18.373 pagantes (Total: 19.686)
Renda: R$ 185.985,00
Local: Couto Pereira

Coritiba 1×2 Juventude

Coritiba
Douglas; Jucemar, Miranda, Reginaldo Nascimento e Ricardinho; Márcio Egídio, Luís Carlos Capixaba, Souza (Marciano) e Jackson (Rubens Júnior, depois Alcimar); Tiago e Alexandre. Técnico: Cuca

Juventude
Doni; Chicão, Antônio Carlos e Naldo; Magal, Bruno Lança, Leandro Moreno (Camazzola), William e Zé Rodolpho; Enílton e Diogo (Lauro). Técnico: Ivo Wortmann