Roberto Brum, recuperado de uma pancada
na coxa direita.

Talvez seja cedo para uma decisão, mas o Coritiba não tem escapatória. Hoje, às 16h, no Pinheirão, a liderança do campeonato paranaense está em jogo contra o Paraná. Mas não é só isso: ainda há a sonhada vaga para a Copa do Brasil, que representa calendário, dinheiro e motivação. Resumindo, o Cori joga hoje o futuro desse primeiro semestre em apenas noventa minutos – ou cento e vinte, se for o caso.

O ineditismo da mistura de competições em um mesmo jogo poderia embatucar as cabeças de muitos, principalmente porque os dois torneios têm características bem diferentes. O Paranaense está apenas na terceira rodada, e empatar um clássico fora de casa (o Cori não vence o Paraná fora do Couto Pereira desde 98) não seria um mau negócio. De outra parte, em um jogo de eliminação simples – como se transformou a partida, já que ela vale pela Copa do Brasil, há que se buscar o resultado para evitar prorrogação e pênaltis.

Como a importância da Copa do Brasil acaba sendo maior, o resultado para o Paranaense ficou pelo caminho. “Não podemos ficar pensando na tabela, porque a partida tem um prêmio muito importante, que é a vaga na Copa do Brasil”, diz o meia Tcheco. “Não há a mínima condição de separar os jogos. As pretensões financeiras do clube dependem muito desse jogo”, admite o volante Reginaldo Nascimento. “Nosso interesse é ganhar, mesmo que seja na prorrogação ou nos pênaltis”, completa.

E é isso que o técnico Paulo Bonamigo não quer que aconteça. “Não podemos nem pensar nisso. Estamos prontos para jogar noventa minutos, e não para encarar uma seqüência desgastante”, resume o treinador, que sequer é a favor da decisão nessa partida. “Poderiam ter feito de outra forma. Ninguém está preparado para jogar uma decisão como essa no início da temporada”, explica.

Isso porque a preparação física e técnica do elenco estava programada para ser gradual, chegando ao ápice no final do Paranaense – que praticamente coincide com o início do campeonato brasileiro. “Muita coisa teve que ser acelerada, porque o clássico vale muito”, diz Bonamigo. É verdade – além dos três pontos, pode representar uma folga de caixa para o Coritiba. Como a Copa do Brasil tem cotas individualizadas, o clube pode ganhar em duas fases mais do que a Globo Esportes pagou por todo o campeonato estadual.

Por essas e outras que o Coritiba encara a partida como a decisão que todos falam. Há a consciência que, se vencer o Paraná, o clube terá um calendário que pretendia ter desde o início do ano e que quase não teve. Mais – vencendo, quebra um tabu antigo e elimina em parte o ?trauma? do Pinheirão. É hora de exorcizar os fantasmas.

Time

Paulo Bonamigo teve uma boa notícia após o treino de sábado. O volante Roberto Brum se recuperou de uma pancada na coxa direita, treinou normalmente e está escalado para o clássico. Adriano, que desfalcou o time contra o Londrina, também está confirmado.