enkontra.com
Fechar busca

De Letra

Coritiba já viajou para início da decisão estadual

  • Por Cristian Toledo

A vida segue. Apesar do abatimento pela eliminação na Copa do Brasil, o Coritiba retomou suas atividades na manhã de ontem, e já está em Maringá, onde fica concentrado para a primeira partida da final do campeonato paranaense, amanhã, contra o Paranavaí, no Noroeste do Estado.

Sentindo o baque do elenco, a comissão técnica coxa tratou de motivar os jogadores ainda no vestiário do Couto Pereira, minutos depois da vitória sobre o Ituano.

Quando Fabrício Corrêa apitou o final do jogo na quarta, alguns jogadores ficaram prostrados no campo, como o goleiro Fernando, que olhava para o horizonte sem entender muito o que estava acontecendo. Outros se emocionaram, como Roberto Brum – o volante deixou o campo aplaudido pela torcida e quase chegou às lágrimas. Enquanto isso, o técnico Paulo Bonamigo e toda a comissão técnica partiam para o vestiário com uma estratégia pronta.

E ela foi posta em prática logo após as orações de praxe. “Tudo começou com o Ramirez”, conta o meia Tcheco, citando o coordenador técnico alviverde. “Ele nos reuniu e disse que estava satisfeito com o que a equipe tinha feito contra o Ituano, mas que era a hora de olhar para o campeonato paranaense, porque nós estamos devendo esse título para a torcida”, resume.

Para Bonamigo, era mais que natural essa ?remotivação?. “Nós temos que assimilar o que aconteceu. Queríamos muito a classificação na Copa do Brasil, mas ela não veio e agora temos que esquecê-la. Estamos em um momento no campeonato paranaense que é importantíssimo para o Coritiba, e não podemos perder essa mobilização”, explica o treinador.

Além disso, ele vai tratar de casos específicos, como o de Lima, que vive má fase. “É a hora de olhar com carinho para os jogadores que, por um motivo ou outro, não estão rendendo o que podem”, diz Bonamigo, que não deixou de reiterar o espírito de luta dos jogadores. “Eles não desistiram um minuto sequer, e isso foi reconhecido pelos nossos torcedores, que nos apoiaram até o final da partida”, afirma o treinador.

E esse é mais um elemento que serve para motivar o elenco – a resposta positiva dos torcedores à vontade apresentada em campo. “Nossa torcida pode ter certeza que vamos chegar em Paranavaí e vamos mostrar esse mesmo espírito”, promete o goleiro Fernando. “Eles que torçam bastante no primeiro jogo, e que lotem o Couto Pereira no jogo de volta, porque eles vão ser decisivos na conquista do título”, finaliza Roberto Brum.

Guerra

Fernando, por sinal, acredita que a partida de amanhã começa antes das 16h. “Nós temos que ficar preparados para uma guerra dentro de Paranavaí”, afirma o goleiro, para depois explicar. “Nós já estivemos lá e aconteceu de tudo. De madrugada houve gritaria, confusão e foguetório na frente do hotel em que estávamos hospedados. Tudo isso pode ser repetido, então temos que ficar atentos”, comenta.

Júlio pode ser a baixa do ACP

O meia Júlio pode desfalcar o Paranavaí no primeiro jogo da decisão do campeonato paranaense. Ele ainda se recupera de uma contusão no joelho esquerdo. Se ele não puder jogar, Nelmon será o titular.

Julio já não pôde enfrentar o Prudentópolis, na partida de volta das semifinais. Sua ausência preocupa por tratar-se do jogador, entre os que o treinador Itamar Bernardes tem à disposição, que melhor faz a aproximação do meio-campo com o ataque. Nelmon, que iria substituí-lo, também se contundiu. Por isso, Reinaldo Alexandre jogou.

Outro desfalque do Vermelhinho contra o Coritiba, amanhã, será o zagueiro Marcelo, que vai cumprir suspensão por ter sido expulso. Em seu lugar, entra Vanderlei, que nas últimas rodadas perdeu a posição para Rodrigo, o zagueiro que marcou quatro gols neste campeonato.

Oficialmente, o time só vai ser anunciado depois do coletivo de hoje. O mais provável é que Vilson; Daniel, Vanderlei, Rodrigo e Maurício; Gian, Márcio, Edílson e Júlio; Neizinho e Aléssio sejam os titulares.

Cidade enfeitada

Nas ruas centrais de Paranavaí, o adereço mais comum é a bandeira do time da cidade. Ela está nos postos de gasolina, nas lojas, nas agências bancárias e nos bares. A empolgação da cidade com a equipe é definida pelo repórter Tito Costa, da Rádio Paranavaí: “Aqui, quando duas pessoas se encontram é para falar do jogo”.

A instabilidade preocupa

Se não há tempo para treinamentos, o negócio é conversar. O Coritiba terá tempo – e privacidade para isso – em Maringá, e o técnico Paulo Bonamigo tem um bom assunto para tratar com os jogadores. Ele confessa ficar assustado com o desequilíbrio apresentado pela equipe nos últimos jogos, principalmente contra Londrina e Ituano. E, apesar de ter gostado do time no segundo tempo da partida de quarta, ele tem consciência que não se pode dar chance ao azar contra o Paranavaí.

O que mais preocupa Bonamigo pôde ser percebido nos últimos quinze minutos do primeiro tempo da partida contra o Ituano: uma equipe perdida em campo, sendo presa fácil para a marcação adversária e também para o contra-ataque do time paulista, que inclusive acertou uma bola na trave alviverde. “Ali o time se perdeu. E eu realmente me assustei, porque eu vi que minha equipe sentiu uma pressão normal que vinha da nossa torcida”, explica o treinador.

Depois, o time reagiu e cresceu, o que diminui a preocupação do técnico alviverde. “Estou tranqüilo porque o time rendeu bem no segundo tempo, o que me faz acreditar que não haverá problemas lá em Paranavaí”, diz Bonamigo, que aproveita para dar – de novo – a receita do Coritiba ideal. “Nós temos sempre que demonstrar as nossas capacidades. Precisamos ter vontade, disposição, raça, personalidade”, resume.

Para muitos, o desequilíbrio advém do noviciado do elenco em situações decisivas. (CT)

Um só treino para definir

É hora de montar o quebra-cabeça. Paulo Bonamigo terá apenas um treinamento para definir o Coritiba que enfrenta o Paranavaí amanhã, com cinco desfalques ao todo. Dessa forma, o time que entra em campo no Waldemiro Vagner será totalmente novo, sem nunca ter jogado junto com qualquer formação que se escale. E a grande novidade deve ser um jogador ?acostumado? com decisões.

Como acontece desde o tempo de Ivo Wortmann no comando do Coxa, em momentos decisivos sempre aparece uma chance para Pepo. E não será diferente amanhã, dia da primeira partida da final do campeonato paranaense. Ele provavelmente será um dos titulares do meio-campo, entrando no lugar de Edu Sales, que cumpre suspensão automática pela expulsão contra o Londrina. A outra opção seria a entrada de um atacante, no caso Gelson.

A entrada de Pepo contra o Ituano foi uma indicação clara de Bonamigo do pensamento dele para a final – já prevendo isso, o treinador já testara o meia no treino de terça, usando-o como um dos doze ?titulares? no trabalho tático. “É uma observação inteligente”, confessa Bonamigo. “O Pepo vem rendendo bem sempre que é chamado, e pode fazer uma composição interessante no meio-campo”, explica.

Com isso, Lima passaria para o ataque ao lado de Marcel, e o Cori teria no Noroeste do Estado uma equipe mais compacta, apostando na forte marcação de meio. Pepo, no caso, ficaria auxiliando Tcheco também no apoio. E o meia, já calejado com as participações em jogos importantes, encara com tranqüilidade o fato de poder jogar a final. O treinador promete definir o time ainda hoje, após o treino que acontece às 9h no campo do Sindicato dos Bancários de Maringá.

Defesa

Nas outras posições, não há muito mistério. Sem quase toda a defesa titular (não jogarão Edinho Baiano, Adriano, Reginaldo Nascimento e Fabrício), Bonamigo deve escalar os imediatos de cada posição. Sendo assim, os titulares de amanhã seriam – respectivamente – Juninho, Ricardo, Willians e Danilo. (CT)

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas