Átila Alberti
James diz que este é o momento pra voltar a vencer no Brasileirão.

O Coritiba está planejando os próximos jogos do Brasileiro etapa por etapa. A primeira começa na partida de domingo com o Fluminense e segue com os confrontos contra Juventude, Vasco, Paraná e Goiás – destes, quatro serão em Curitiba (um no Pinheirão). E o técnico Cuca quer que esta série seja, enfim, a arrancada da equipe. E ele garante que o elenco vai responder positivamente.

A instabilidade emocional do Coxa salta aos olhos e dela decorre a irregularidade no Campeonato Brasileiro. Para Cuca, é um reflexo da diversidade do elenco – e das ausências que se acumularam. ?Todos falam em falta de uma seqüência de resultados, mas não podemos esquecer que perdemos nove jogadores durante a competição. Isso faz diferença?, alerta o treinador.

Mesmo assim, alguns chegam a duvidar que desta vez o Coxa consegue embalar e até mesmo que o poder de reação do elenco seja satisfatório. O técnico do Cori garante que será. ?Eu garanto isso por eles. E não seria ingênuo de fazer isso sem ter a confiança da resposta que eles vão me dar. E vocês poderão ver isso a partir do jogo com o Fluminense?, afirma.

Será o primeiro jogo da série de cinco partidas. Este período foi um dos principais assuntos de uma reunião que durou mais de uma hora ontem, no CT da Graciosa. ?É um bom momento para a gente conseguir resultados e voltar a crescer?, admite o lateral-direito James. ?Temos condições de recuperar o Coritiba no Brasileiro?, completa o meia Caio. ?Primeiro vamos pensar no Fluminense?, ressalva Cuca.

O outro assunto, que dominou boa parte da conversa, foi a reflexão sobre a derrota para o São Paulo. ?É vergonhoso, foi um vexame, foi um resultado catastrófico. Mas não posso deixar de lembrar que em oitenta minutos nós fomos equilibrados e tivemos chances de vencer?, argumenta o técnico.

Entretanto, Cuca quer que a irritação da torcida tenha o seu ?lado bom? canalizado a favor do Cori. ?Este é o momento em que todos têm que ser homens, que precisam buscar a força que têm e colocá-la a serviço do grupo. É hora da hombridade, da atitude. Não podemos mais ficar esperando os outros times nos passarem para tentar a recuperação?, finaliza o treinador coxa.

Julgamento

Cuca viaja na hora do almoço para o Rio de Janeiro. Ele vai acompanhar de perto seu julgamento pela 3.ª Comissão Disciplinar do STJD. Ele foi expulso pelo árbitro Carlos Eugênio Simon contra o Santos e está incluso no artigo 188 do CBJD -manifestar-se de forma desrespeitosa ou ofensiva contra o árbitro. Punido, Cuca (que será defendido pelo advogado coxa Fernando Barrionuevo) pode pegar de 30 a 180 dias de gancho.

Humberto já está em casa

Ele está se sentindo em casa, ainda mais no frio cortante desta semana em Curitiba. O meio-campista Humberto, que chegou ao Coritiba há poucos dias, nem precisou de muito tempo para se adaptar ao clube e à cidade. Vindo de Turim, onde o clima é semelhante ao da capital do Paraná, o jogador pensa em ganhar uma oportunidade e se firmar no time – e também sonha em fixar residência.

Aos 26 anos, Humberto já conseguiu o que muitos jogadores projetam para a vida, que é ter uma chance de jogar no futebol italiano. Não foi exatamente a situação perfeita, mas ele defendeu o Torino, um dos clubes mais tradicionais do país, por uma temporada. ?O sonho de todo atleta brasileiro é ir para a Europa, e eu tive esta oportunidade?, reconhece o jogador.

Mas a história não teve final feliz. O Torino subiu para a Série A, mas foi eliminado da competição por causa de dívidas com o fisco. Os planos do clube foram abandonados e Humberto foi dispensado. ?É uma situação atípica?, afirma o armador. ?Pela forma que as coisas aconteceram, foi uma decepção muito grande. A minha sorte foi ter as portas abertas em um clube grande do Brasil, que é o Coritiba?, completa.

Humberto estava também nos planos do Fluminense, mas a sua contratação esbarrou no investimento feito pelos cariocas para contratar Petkovic. Assim, o técnico Abel Braga, que tentou levar o jogador para as Laranjeiras, ?cacifou? a vinda dele para o Alto da Glória. ?Espero agora aproveitar a chance que eu recebi, jogando bem e ficando no clube até o final do meu contrato. E, quem sabe, depois voltar para a Europa?, diz.

Só que seus planos de permanência em Curitiba são mais longos. ?Eu nem preciso falar que esta é uma cidade que é exemplo para o Brasil. Em um país tão violento, Curitiba é bem acolhedora. É como se fosse uma cidade européia, faz um frio parecido com Turim. Estou me adaptando muito rapidamente?, comenta Humberto, que já pensa em morar definitivamente na capital.

Antes, entretanto, ele precisa ganhar espaço no já inchado elenco do Coxa. O armador se diz completamente integrado. ?Fui bem recebido. Os jogadores são ótimos, a comissão técnica tem o elenco na mão, e espero o mais rápido possível estar pronto para jogar e ajudar o Coritiba?, finaliza.

Questão de bom senso

Foi em nome do bom senso que o Coritiba decidiu liberar as cadeiras da Rua Mauá para torcedores da arquibancada, domingo, contra o São Paulo. Isto para responder a alguns pagantes que se sentiram prejudicados ao se ?misturarem? com o público de um setor mais barato.

Segundo o secretário Luiz Henrique Barbosa Jorge, a área coberta das arquibancadas estava lotada. Muita gente se espremia para se proteger da chuva e do frio, inclusive mulheres e crianças. Para dar mais conforto, no intervalo a diretoria autorizou a abertura dos portões que dividem as arquibancadas (R$ 5,00) das cadeiras da Mauá (R$ 10,00).

Houve quem reclamasse da medida. O torcedor Marcelo Nogoseke, por e-mail, disse que a Império se posicionou na frente dos torcedores das cadeiras, que foram obrigados a assistir ao jogo em pé. Alguns dos transferidos estariam fumando maconha. Ele considerou a atitude um desrespeito com o torcedor que pagou mais caro e ameaçou reclamar no Procon.

Robert rende 73 mil dólares

Depois de quase oito meses, o Coritiba ganhou na Fifa o direito de receber um percentual da negociação do atacante Robert do Atlas (México) para o PSV. Apesar de ser um valor pequeno (73 mil dólares, equivalentes a pouco mais de 170 mil reais), é uma vitória na luta pelo cumprimento da Lei Pelé.

O Cori, representado pelo escritório Carlezzo Advogados Associados, entrou com uma ação contra PSV e Atlas na Fifa, reclamando o valor, chamado de ?mecanismo de solidariedade?. O imbróglio só terminou quando a entidade ameaçou punir os dois clubes pelo não cumprimento do Regulamento de Transferências. ?O Coritiba, enquanto um dos clubes formadores do Robert, fez valer o seu direito perante as instâncias internacionais, em processo que envolvia duas importantes equipes do México e Holanda, demonstrando que tem posição firme na defesa de seus interesses?, explica o advogado Eduardo Carlezzo.

Promoção do Nescau

Já estão disponíveis para troca os ingressos da promoção ?Torcer Por Seu Time Faz Bem?, da Nestlé, para a partida de domingo entre Coritiba e Fluminense. A intenção da diretoria é, mesmo com o mau momento no Brasileiro, ter casa cheia no Couto Pereira no último jogo da parceria do clube com a multinacional suíça. Para este jogo, foram divulgadas novas orientações sobre os setores do Couto Pereira.

Para facilitar a presença do torcedor e agilizar o processo de troca do ingresso e da entrada no estádio, a direção do Coxa, em nota no sítio oficial do clube (www.coritiba.com.br), informou que não haverá divisão entre os setores das cadeiras da rua Mauá e as arquibancadas. Os portões que dividem os dois espaços estarão abertos e os ingressos – que estão identificados – valerão para qualquer um dos setores.

Quem quiser assistir a Coritiba x Fluminense no Alto da Glória pode trocar os ingressos por uma lata de achocolatado em vários postos pela cidade. Os supermercados credenciados e os endereços estão no sítio oficial do Coxa.