Orlando Kissner
Cuca diz que o time precisa
ter atitude para vencer.

A partida das 20h30 entre Coritiba e Fortaleza é muito importante para os alviverdes. Não é apenas o início do segundo turno, mas uma nova possibilidade de galgar posições na classificação do Campeonato Brasileiro (contra um adversário direto) ou a chance de reabilitação. É sim um jogo-chave para que o time possa comprovar que pode vencer as partidas em casa e que tem condições emocionais de buscar alguma coisa na competição.

Todas as vezes que o Coxa teve chances de crescer no Brasileiro, não soube aproveitar – a última delas contra o Internacional. Isso faz com que a desconfiança (de torcedores, da imprensa e até dentro do clube) aumente a cada frustração, que o desalento tome conta do grupo e que as ambições sejam cada vez menores. Hoje é um dia desses – a mobilização para a partida nem se compara a jogos contra adversários como Paysandu e Juventude.

Mesmo assim, espera-se bom público. A diretoria fez promoções que reduziram o preço dos ingressos até pelo terço do habitual. Será uma torcida com muita vontade de ajudar, mas que espera a resposta dentro de campo. ?Acho que há uma combinação. A força que eles nos passam é fundamental, mas a torcida só empurra uma equipe que mostra vontade de vencer. E nós vamos jogar tudo contra o Fortaleza?, avisa o zagueiro Vágner.

É o que os torcedores mais querem. E é o que o técnico Cuca mais quer. ?Nós precisamos ter a atitude para vencer. Eu confio nos atletas e sei que eles podem me dar exatamente essa iniciativa?, comenta. Ele pretende ver um time mais aguerrido em campo neste segundo turno, principalmente no Alto da Glória. ?Cada partida em casa será decisiva, porque vamos partir delas para conseguir outros resultados fora. É assim com este jogo?, diz o zagueiro Flávio. ?Se vencermos o Fortaleza, poderemos ir com mais segurança enfrentar Santos e Palmeiras fora?, completa.

Além da questão ?numérica? do atual campeonato, o Cori quer voltar a ser um time caseiro. Em 2004 e 2005, a equipe não conseguiu passar dos 60% de aproveitamento no Couto Pereira – dez das 24 derrotas alviverdes em casa nos últimos seis anos aconteceram nestes dois brasileiros. Se chegasse perto dos 70%, como teve em 2002 e 2003, o Coxa estaria entre os times classificados até o momento para a Copa Sul-Americana e perto da briga pela Libertadores.

Para conseguir recuperar isso, o time espera o apoio irrestrito fora de campo. ?Eles podem ter certeza que nós vamos fazer o máximo para conseguir as vitórias?, avisa o meia Alcimar. Dentro, com atenção, bom futebol e triunfos. ?Se conseguirmos ter tudo isso, vamos transformar o Alto da Glória em um fortim, para não darmos mais chances aos nossos adversários?, finaliza Renaldo.

Capixaba reaparece depois de dez dias

Um dos principais objetivos do Coritiba na partida contra o Fortaleza é, enfim, reverter em gols as chances criadas – o time é o que mais teve oportunidades (382) no Campeonato Brasileiro. Outro grande desejo alviverde é ?reabilitar? um dos jogadores mais regulares da equipe nos últimos anos.

Luís Carlos Capixaba deve ser a grande novidade coxa no Alto da Glória.

O armador disputa uma vaga com Alcimar, que ontem não treinou por causa de dores no ombro. ?Quero esperar até quando puder. Se o Alcimar não puder atuar, vai o Capixaba?, avisa o técnico Cuca. Na verdade, a conversa de hoje com os titulares, que durou cerca de trinta minutos, contou com o meio-campista, que não enfrentou o Internacional porque estava suspenso.

Para Cuca, não há problemas em escalá-lo, pois ele conta com a ajuda dos torcedores. ?Se o Capixaba for bem, todos vão aplaudi-lo, como fizeram em todo o período em que ele está no clube?, resume. O jogador prefere deixar o tempo passar. ?Eu quero jogar bem e ajudar o Coritiba. Caso eu não atue bem, o torcedor tem todo o direito de reclamar?, diz.

Capixaba ficou dez dias fora do time e usou o período para se recondicionar. ?Precisava de uns treinos físicos e de descanso. Tive isso nesse tempo e agora me sinto muito bem?, afirma. ?Ele está pronto?, garante Cuca, que deve optar pelo armador para contar com um time reforçado na marcação e com qualidade no passe.

Até porque a preocupação maior do técnico – e do time – é a falta de gols. Foram apenas 29 convertidos nas 382 oportunidades. ?É importante termos isso, porque prova que estamos fazendo uma parte fundamental, que é a criação de jogadas. Mas agora chegou o momento de marcarmos os gols?, afirma Cuca. ?Se a gente tiver mais tranqüilidade, nós vamos conseguir fazer isso?, completa Marquinhos.

?Se entrarmos em um bom momento, esse problema vai passar?, finaliza o técnico alviverde.

CAMPEONATO BRASILEIRO
Súmula
Local: Couto Pereira
Horário: 20h30
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (FIFA-PE)
Assistentes: Erick Bartholomeu Antas e Silva Bandeira (FIFA-PE) e Alcides Augusto de Lira Júnior (PE)

CORITIBA X FORTALEZA

Coritiba
Douglas; Vágner, Flávio e Allan; Jackson, Reginaldo Nascimento, Luís Carlos Capixaba, Marquinhos e Ricardinho; Caio e Renaldo. Técnico: Cuca

Fortaleza
Bosco; Amaral, Alan, Ronaldo Angelim e Marquinhos; Erandir, Marcelo Lopes, Lúcio e Mazinho Lima; Rinaldo e Fumagalli. Técnico: Hélio dos Anjos