enkontra.com
Fechar busca

De Letra

Coritiba e Paranavaí na busca do Estadual invicto

  • Por Cristian Toledo
Tcheco, Marcel e Fernando tentarão
recuperar a hegemonia coxa no Paraná.

Faltam noventa minutos. Hoje, a partir das 17h, no Couto Pereira, acontece a final do campeonato paranaense. Depois de 67 anos, haverá um campeão invicto, e há a possibilidade de, com um empate, Coritiba e Paranavaí serem campeão e vice do Estado sem terem sido derrotados uma vez sequer, o que seria inédito no nosso futebol.

Se der Coritiba, o Paranaense vai ficar representado como a retomada de hegemonia do seu maior campeão, que conquistaria seu 31.º título. Mas se o vencedor for o Paranavaí, mais história: seria um título inédito nos 57 anos de história do ACP, clube que é mais velho que sua própria cidade. Seria o décimo-sétimo campeão estadual em quase noventa anos de disputa do campeonato paranaense.

Ainda há mais componentes ?históricos? na finalíssima. A torcida do Coritiba fez sua parte de maneira impressionante, esgotando os 45 mil ingressos colocados à venda em três dias, fazendo as bilheterias do Couto Pereira fechassem as portas 72 horas antes do jogo. A presença de público deve ser próxima a 50 mil pessoas, o que seria o maior público do estado desde 1998.

E, no Alto da Glória ou não, quem assistir ao jogo verá os dois melhores times do campeonato paranaense -uma glória para um regulamento tão esdrúxulo. “A sorte do regulamento é que Coritiba e Paranavaí tiveram competência e chegaram à final”, argumenta o goleiro coxa Fernando. E chegam – em tese -em igualdade de condições no gramado, já que as duas equipes fizeram duas partidas entre si. E os dois jogos (ambos realizados no noroeste do estado) terminaram em 2×2.

Se for esse o resultado (ou qualquer outro empate), o título é alviverde, fruto da melhor campanha conseguida nas primeiras fases. Mas é natural que se fale em vitória no Couto Pereira. “Quem sabe aos 40 minutos do segundo tempo a gente pense que o empate é uma boa. Antes temos que jogar para vencer”, comenta o volante coxa Roberto Brum.

De um lado, a ansiedade e a euforia do Coritiba, correndo para conquistar um título que se tornou fundamental para a seqüência do clube. Do outro, uma ?zebra? que mostrou desde o primeiro jogo que merecia estar entre os melhores. Quem vai vencer? Só vamos começar a saber quando Héber Roberto Lopes apitar o início da decisão.

Uma semana toda para corrigir as falhas

Cristian Toledo

Pouco se falou sobre o trabalho tático do Coritiba para a decisão de hoje contra o Paranavaí. Envolto na euforia que tomou conta da cidade, o próprio técnico Paulo Bonamigo demonstrava ter outros pensamentos prioritários que não o de montar o time para a partida. Ele preferiu usar a semana mais para longas conversas com o elenco, além de realizar treinos técnicos atacando as principais falhas da equipe no jogo de ida, sábado passado.

Mas e a tática? Essa foi trabalhada em dois treinamentos, além do coletivo de quarta, realizado no Couto Pereira. Pode ser pouco em uma semana que teve dez sessões de treinos, mas há explicações. Como Bonamigo conta com a sua equipe titular para o jogo, esta já tem maior ciência do que pretende o técnico, cabendo aos trabalhos da semana apontarem caminhos exclusivos para a partida contra o ACP.

Essa é a principal vantagem do Coritiba em relação à partida da semana passada -no noroeste, Bonamigo não teve cinco titulares e ainda perdeu Marcel com 15 minutos de jogo. Agora, quase todos estão de volta: Reginaldo Nascimento, Fabrício e Edu Sales cumpriram suspensão automática, Marcel recuperou-se dos cortes no rosto e Adriano voltou da seleção brasileira sub-20. Falta Edinho Baiano, mas este – se não pode jogar -está concentrado com seus companheiros no hotel Vernon.

No lugar do capitão coxa entra Juninho, e com isso fica formada a equipe-base do Cori – não só para hoje, mas para as primeiras rodadas do campeonato brasileiro. E mesmo se Pepo está bem, e Lima está mal, o treinador coxa não mexe na base. “Esse time jogou 80% da competição, e é a formação que nos deu os melhores resultados e a vantagem nessa reta final”, justifica Bonamigo.

Pepo, por sinal, será um elemento decisivo da partida. Já avisado de que vai jogar, o meia tornou-se o ?coringa? de Bonamigo. “Ele pode jogar nas três funções do meio-campo, e vai jogar. Não precisa começar jogando para ser titular”, teoriza o técnico alviverde. A intenção alviverde é tentar usar o apoio da torcida e o ambiente do Couto Pereira para pressionar o Paranavaí desde os primeiros minutos – e, se construído o resultado, Pepo entraria para reforçar a marcação.

Calma

Mas tudo isso sem apelar para o desespero. Além de pedir aos jogadores que não se empolguem com o clima de ?já-ganhou?, Bonamigo afirmou diversas vezes que é necessário ter tranqüilidade nesta decisão. “O nosso adversário é experiente e talvez nem sinta o fato de jogar fora de casa com cinqüenta mil pessoas empurrando o Coritiba. Aí precisamos ter calma para jogar com inteligência”, explica o treinador. “Ele sempre está pedindo calma para a gente. Não podemos nos atirar para o jogo como loucos”, completa o lateral Ceará. (CT)

Paranavaí não se intimida e vai ao ataque

Rubens Chueire Jr.

“Nós respeitamos o Coritiba, mas não vamos ficar esperando eles jogarem. Precisamos da vitória, e iremos atrás do resultado”. Com essa declaração, o técnico Itamar Bernardes deixou claro que o objetivo do Paranavaí é partir pra cima do Coritiba, mesmo jogando fora de casa e com a pressão da torcida, hoje na segunda partida da final do Campeonato Paranaense.

A vitória é o único resultado que interessa ao Vermelinho, que conta com a experiência de Aléssio e Neizinho no ataque para os momentos de definição.

Último treino

Ontem, no treino realizado no estádio do Pinheirão, a equipe do Paranavaí fez um trabalho rápido, priorizando as jogadas de ataque, em um jogo-treino de meia hora. O ofensivo esquema 4-4-2 montado pelo técnico, contando com as voltas de Júlio, no meio-campo, e Marcelo na zaga, também aposta na marcação forte. Tcheco é o centro das atenções de Itamar. Segundo o treinador, o meia arma a maioria das jogadas alviverdes e por isso terá uma marcação especial. Roberto Brum e Edu Sales também não terão espaço.

Outra preocupação do técnico do Paranavaí para a partida são as jogadas aéreas do adversário. “Os cruzamentos para Marcel têm dado trabalho para a zaga. Temos que ficar atentos a todo momento, para não sermos surpreendidos”, alerta Itamar. Para evitar essas surpresas, o goleiro Vílson treinou separadamente a saída do gol, e os cortes dos cruzamentos.

O encarregado de tentar parar o ataque alviverde é Jean. O zagueiro disse estar preparado para suportar a pressão coxa-branca. “Vamos fazer o que for possível para segurar o ataque do Coritiba. Nós temos que manter o posicionamento e evitar as faltas perto da área”.

Segundo Jean, o pior será os primeiros minutos de jogo, onde o Coritiba deverá buscar o gol a qualquer preço. “A nossa equipe terá que ter paciência. Se nós conseguirmos segurar o empate no primeiro tempo vai ser ótimo, pois o nosso time rende mais na segunda etapa”.

Outro destaque do time do interior, o atacante Neizinho, briga pela artilharia do campeonato, com nove gols. Mas para o experiente jogador, o que importa é o título, que seria o primeiro de sua carreira. “Eu nunca fui campeão, mesmo jogando em diversas equipes no futebol. Não me importo com a artilharia, o que eu quero é vencer o campeonato”.

O fator psicológico nos jogadores mais jovens também foi uma questão que o experiente Neizinho salientou. “Os veteranos do grupo, como eu, o Edílson, o Aléssio, Jean e Júlio temos que passar tranquilidade para a equipe. Tem jogador que nunca jogou no Couto Pereira. É uma dificuldade, mas nós vamos passar por isso”.

A pressão dos 45 mil torcedores que vão ao estádio não preocupa o técnico Itamar. Para ele, quanto mais gente, maior será o espetáculo. “Todo sonho de um jogador e de uma comissão técnica é jogar em um estádio cheio. Mesmo que seja com torcida contra”.

Saída

Com o final do campeonato o técnico Itamar Bernardes não deve permanecer no time do interior. O treinador já teve propostas de Naútico e Joinville para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B. Ele ainda não definiu a sua situação, mas admitiu sua preferência. “O Joinville é um clube bem estruturado e tem um bom grupo de jogadores, pode ser a melhor opção, por disputar um campeonato competitivo, com bom retorno técnico” – declarou o treinador.

CAMPEONATO PARANAENSE ? FINAL
CORITIBA X PARANAVAÍ

Coritiba: Fernando; Ceará, Fabrício, Juninho e Adriano; Reginaldo Nascimento, Roberto Brum, Tcheco e Lima; Edu Sales e Marcel. Técnico: Paulo Bonamigo

Paranavaí: Vílson; Daniel, Marcelo, Rodrigo e Maurício; Jean, Márcio, Edílson e Júlio; Alés­sio e Neizinho. Técnico: Itamar Bernardes

Súmula
Local: Couto Pereira
Horário: 17h
Árbitro: Héber Roberto Lopes (FIFA)
Assistentes: Roberto Braatz e Gílson Bento Coutinho

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas